Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/9092
Document type: Dissertação
Title: Efeitos de uma intervenção preventiva nas competências emocionais e sociais de crianças em ambiente escolar
Author: Heinen, Marina 
Advisor: Oliveira, Margareth da Silva
Abstract (native): Nos últimos anos, tem aumentado a prevalência de transtornos mentais em crianças e adolescentes. A literatura aponta que os Transtornos de Ansiedade e o Transtorno Depressivo tem alto predomínio de forma isolada ou em comorbidade nessa população. A presença de sintomatologia psiquiátrica no período infanto-juvenil é um fator de risco que pode acarretar em prejuízos ao longo do desenvolvimento. As consequências incluem dificuldades acadêmicas e em relacionamentos, maior envolvimento com violência, drogas e comportamentos de risco e a evolução de transtornos mentais na vida adulta. Nessa perspectiva, considerando a alta prevalência e a gravidade dos efeitos dos sintomas, torna-se importante prevenir ou reduzir o impacto da sintomatologia e promover saúde mental em crianças e adolescentes. O ambiente escolar tem sido apontado como um espaço favorável para o desenvolvimento de saúde mental através da implementação de programas que objetivam a promoção de recursos e prevenção de problemas. A escola pode contribuir para o crescimento saudável ao integrar a aprendizagem acadêmica, social e emocional contribuindo também para o aumento na qualidade da educação dos alunos. Frente a isso, pode-se pensar que intervenções precoces com foco no desenvolvimento de competências socioemocionais podem auxiliar a prevenir problemas de comportamento e promover saúde mental. A Terapia de Regulação Infantil (TRI) possui uma modalidade preventiva conhecida como Terapia de Regulação Infantil Preventiva (TRI-P) ou Trabalho de Regulação Infantil. O modelo preventivo da TRI destina-se à população universal com o objetivo de desenvolver habilidades socioemocionais, trabalhando técnicas de regulação emocional e habilidades sociais, que são consideradas fatores de proteção para o não desenvolvimento de problemas relacionados aos transtornos mentais. A presente dissertação tem como objetivo geral avaliar os efeitos do protocolo preventivo da Terapia de Regulação Infantil (TRI-P) nas competências socioemocionais de crianças com idade entre 7 e 9 anos, em escolas de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul. O presente estudo faz parte de um projeto maior que visa avaliar a efetividade da Terapia de Regulação Infantil, o qual está com parecer favorável pelo Comitê de Ética da PUCRS (CAAE: 40658214.6.0000.5336). Inicialmente, é apresentada uma seção teórica com fundamentação teórica sobre a temática da dissertação, expondo a prevalência e as consequências da presença de sintomas de transtornos mentais em crianças e adolescentes, a implementação de programas preventivos no ambiente escolar, o desenvolvimento de competências socioemocionais e pesquisas com programas preventivos. Ainda nessa seção, apresenta-se o primeiro estudo intitulado: “Intervenção baseada em um protocolo de Terapia Cognitivo-comportamental: Um relato de experiência com crianças no ambiente escolar”, que visa relatar a experiência da aplicação do protocolo preventivo da Terapia de Regulação Infantil com um grupo de dezessete crianças em uma escola particular no interior do Rio Grande do Sul. Descreve-se de forma detalhada os objetivos e atividades de cada encontro do protocolo. Sugere-se que o TRI-P pode ter auxiliado no fortalecimento de habilidades adquiridas durante a intervenção através do uso de linguagem acessível e materiais concretos. Destaca-se que o alto número de participantes pode ter dificultado um maior aprendizado e a participação de todos durante as atividades. Infere-se que houve alta adesão pois que nenhuma criança desistiu do programa e houve feedbacks positivos dos responsáveis. Concluiu-se que esse relato apresentou uma possibilidade de intervenção na escola para o desenvolvimento de habilidades que são fatores de proteção para o desenvolvimento saudável das crianças. A seção empírica da dissertação é dividida em dois estudos empíricos. O primeiro estudo dessa seção diz respeito ao estudo piloto realizado com o TRI-P e foi intitulado “Protocolo Preventivo da Terapia de Regulação Infantil: Estudo piloto no ambiente escolar”. Esse estudo objetiva avaliar os efeitos do TRI-P nas habilidades socioemocionais em crianças com idade entre 7 e 9 anos. Realizou-se um estudo de base quasi-experimental em que comparou o grupo experimental (n=17) com o grupo controle do tipo lista de espera (n=11), antes e após a intervenção. A divisão dos grupos deu-se de maneira não aleatória. Utilizou-se as escalas Social Skills Rating System (SSRS-BR) para a avaliação de habilidades sociais e comportamentos problemáticos, e a Emotional Regulation Checklist (ERC) para avaliar regulação e labilidade emocional. Ambas escalas foram preenchidas pelos responsáveis. O período entre a avaliação pré e a pós foi de, aproximadamente, 3 meses. A pesquisa foi realizada em uma escola particular no interior do Rio Grande do Sul. Os resultados, após intervenção, apontam diminuição significativa nos níveis de problema de comportamento [Pré: 30,2±20,0 vs. Pós: 22,4±15,8; p=0,018] e labilidade do humor [Pré: 22,2±3,7 vs. Pós: 19,9±3,2; p=0,036], no grupo experimental. Houve aumento, mas não significativo, nos escores de regulação emocional e habilidades sociais, no grupo experimental. Houve diferença significativa entre os grupos na subescala que avalia labilidade do humor nas avaliações pré e pós intervenção (Pré: p=0,055; Pós: p=0,006). Os resultados apontam que a implementação do TRI-P mostrou-se eficaz para a redução de problemas de comportamento e nos níveis de labilidade do humor da amostra em questão e pode ser uma opção promissora frente a importância do cuidado com saúde mental no ambiente escolar. O segundo estudo empírico intitulado “Efeitos de uma intervenção para promover saúde mental e prevenir problemas de comportamento de crianças em ambiente escolar” tem como objetivo avaliar os efeitos do TRI-P nas competências socioemocionais e nos sintomas de ansiedade e depressão em crianças com idade entre 7 e 9 anos. Realizou-se um delineamento de base quasiexperimental. Participaram do estudo 39 crianças, que foram divididas de forma não aleatória para o grupo experimental e lista de espera. Os responsáveis preencheram o Social Skills Rating System (SSRS-BR) – Versão Pais e a Emotional Regulation Checklist (ERC). Já as crianças preencheram a Social Skills Rating System (SSRS-BR) – Versão Crianças, Screen for Child Anxiety Related Emotional Disorders (SCARED) e Children Depression Inventory (CDI). A pesquisa foi realizada em duas escolas, uma particular e uma pública, em uma cidade no interior do Rio Grande do Sul. Comparou-se o grupo experimental (n=22), que recebeu a intervenção do protocolo TRI-P, com o grupo controle do tipo lista de espera (n=17) em relação aos níveis de habilidades sociais, problemas de comportamento, labilidade do humor e regulação emocional, assim como nos escores dos sintomas dos Transtornos de Ansiedade e Transtorno Depressivo, antes e após a intervenção. O período entre a avaliação pré e a pós foi de, aproximadamente, 3 meses. Não houve diferenças significativas em relação à comparação dos dados sócio demográficos dos participantes entre os grupos. Percebeu-se redução significativa dos níveis de problemas de comportamento [Pré: 55,22±30,52 vs. Pós: 37,09±30,15; p=0,013] e labilidade do humor [Pré: 27,73±4,98 vs. Pós: 24,04±5,10; p=0,006], assim como nos níveis de ansiedade [Pré: 38,86±8,87 vs. Pós: 28,00±8,02; p= 0,000] e depressão [Pré: 11,18±6,48 vs. Pós: 6,68±3,82; p= 0,000], no grupo experimental. Assim como um aumento significativo nos níveis de regulação emocional [Pré: 31,27±3,41 vs. Pós: 34,09±3,23, p=0,000] e nas habilidades sociais a partir da auto avaliação da criança [Pré: 35,59±30,61 vs. Pós: 59,00±29,29; p=0,002] e na avaliação dos pais [Pré: 43,31±25,61 vs. Pós: 58,27±24,87; p=0,001]. Diferentemente do grupo experimental, no grupo controle houve diminuição significativa nos níveis de habilidades sociais na auto avaliação das crianças (p=0,019). Houve diferenças estatisticamente significativas entre os grupos na auto avaliação inicial das crianças em relação às habilidades sociais (p=0,044), na auto avaliação final (p=0,010) e na avaliação final de regulação emocional (p=0,011). Essa pesquisa apresenta resultados satisfatórios com a aplicação do TRI-P, visto que diminuiu os níveis de problemas de comportamento e labilidade do humor e aumentou os escores de regulação emocionais e habilidades sociais nas crianças submetidas à intervenção. Assim, apresentou-se como uma proposta eficaz de prevenção de problemas emocionais de comportamento das crianças no ambiente escolar.
Abstract (english): In the last couple of years, the prevalence of mental disorders in children and adolescents have increased. Literature indicates that Anxiety Disorders and Depressive Disorder are highly prevalent in an isolated form or in comorbidity in this population. The presence of psychiatric symptoms in children and adolescents is a risk factor that may lead to developmental losses. Consequences include academic and relationship issues, increased involvement with violence, drugs and risky behavior, and the evolution of mental disorders in adult life. From this perspective, considering the high prevalence and severity of the effects of symptoms, it is important to prevent or reduce the impact of symptoms and promote mental health in children and adolescents. The school environment has been pointed as a favorable space for the development of mental health through the implementation of programs that aim to promote resources and prevent problems. School can contribute to the healthy growth by integrating academic, social and emotional learning and contributing to increase quality in student education. In face of what was exposed, it can be thought that early interventions focusing on the development of socio-emotional skills can help prevent behavioral problems and promote mental health. The Terapia de Regulação Infantil (TRI) has a preventive modality known as Terapia de Regulação Infantil Preventiva (TRI-P) or Trabalho de Regulação Infantil. The preventive mode of TRI is intended to the universal population with the aim of developing socio-emotional skills, working on techniques of emotional regulation and social skills, which are considered protective factors for the non-development of problems related to mental disorders. This dissertation aims to evaluate the effects of the preventive protocol of the Terapia de Regulação Infantil (TRI-P) on the socio-emotional skills of children from 7 to 9 years of age, in schools of a city in the interior of Rio Grande do Sul. This study is part of a larger project aimed to evaluate the effectiveness of Terapia de Regulação Infantil, which was approved by the Comitê de Ética da PUCRS (CAAE: 40658214.6.0000.5336). Initially, a theoretical section is presented with theoretical basis on the theme of the dissertation, exposing the prevalence and the consequences of the presence of symptoms of mental disorders in children and adolescents, the implementation of preventive programs in the school environment, the development of socio-emotional skills and researches with preventive programs. This section also presents the first study entitled: “Intervention based on a protocol of Cognitive-Behavioral Therapy: An experience report with children in school environment”, which aims to report the experience of applying the preventive protocol of Terapia de Regulação Infantil with a group of seventeen children in a private school in the interior of Rio Grande do Sul. The objectives and activities of each protocol meeting are described in details. It is suggested that TRI-P may have helped in strengthening skills acquired during the intervention through the use of accessible language and concrete materials. Stands out that the high number of participants may have hampered greater learning and participation of all during the activities. It is inferred that there was high adherence because no child dropped out of the program and there were positive feedbacks from those responsible. It was concluded that this report presented a possibility of intervention at school for the development of skills that are protective factors for the healthy development of children. The empirical section of the dissertation is divided into two empirical studies. The first study in this section concerns the pilot study conducted with the TRI-P and was entitled "Preventive Protocol of Terapia de Regulação Infantil: Pilot Study in the School Environment". This study aims to evaluate the effects of TRI-P on socio-emotional skills in children from 7 to 9 years of age. A quasi-experimental baseline study was performed comparing the experimental group (n=17) with a waiting list control group (n=11) before and after the intervention. The division of the groups was non-randomly. The scales used were the Social Skills Rating System (SSRS-BR) to evaluate social skills and behavior problems, and the Emotional Regulation Checklist (ERC) to evaluate emotional regulation and mood lability. Both scales were filled by those responsible. The period between pre and post evaluation was approximately 3 months. The research was conducted in a private school in the interior of Rio Grande do Sul. Results after intervention indicate significant decrease in behavior problem levels [Pre: 30,2±20,0 vs. Post: 22,4±15,8; p=0,018] and mood lability [Pre: 22,2±3,7 vs. Post: 19,9±3,2; p=0,036], in the experimental group. There was an increase, but not significant, in the emotional regulation and social skills scores in the experimental group. There was a significant difference between the groups in the subscale that assesses mood lability in the pre and post intervention evaluations (Pre: p=0,055; Post: p=0,006). The results point that the implementation of the TRI-P was effective to reduce behavior problems and mood lability levels of the sample and may be a promising option given the importance of mental health care in the school environment. The second empirical study entitled “Effects of an intervention to promote mental health and prevent children's behavior problems in school environment” aims to evaluate the effects of TRI-P on socio-emotional skills and symptoms of anxiety and depression in aged children. between 7 and 9 years of age. A quasiexperimental base outline was performed. 39 children participated in the study, who were non-randomly assigned to the experimental group and the waiting list. Those responsible completed the Social Skills Rating System (SSRS-BR) - Parents Version and the Emotional Regulation Checklist (ERC). On the other hand, children completed the Social Skills Rating System (SSRS-BR) - Children Version, Screen for Child Anxiety Related Emotional Disorders (SCARED) and Children Depression Inventory (CDI). The research was conducted in two schools, one private and one public, in a city in the interior of Rio Grande do Sul. The experimental group (n=22), which received the intervention of the protocol TRI-P, was compared to the waiting list control group (n=17), regarding to social skills levels, behavior problems, mood lability and emotional regulation, as well as the scores of symptoms of Anxiety Disorders and Depressive Disorder, before and after the intervention. The period between pre and post evaluation was approximately 3 months. There were no significant differences regarding the comparison of participant's demographic data between groups. Significant reduction in behavioral problem levels was noticed [Pre: 55,22±30,52 vs. Post: 37,09±30,15; p=0,013] and mood lability [Pre: 27,73±4,98 vs. Post: 24,04±5,10; p=0,006], as well as anxiety levels [Pre: 38,86±8,87 vs. Post: 28,00±8,02; p= 0,000] and depression [Pre: 11,18±6,48 vs. Pos: 6,68±3,82; p= 0,000], in the experimental group. Also a significant increase in levels of emotional regulation was noticed [Pre: 31,27±3,41 vs. Post: 34,09±3,23, p=0,000] and in social skills based on the self-evaluation of the child [Pre: 35,59±30,61 vs. Post: 59,00±29,29; p=0,002] and in the evaluation of the parents [Pre: 43,31±25,61 vs. Post: 58,27±24,87; p=0,001]. In the control group there was no significant increase or decrease. However, unlike the experimental group, in the control group there was a significant decrease in social skills levels in the self-assessment of children (p=0,019). There were statistically significant differences between the groups in the initial self-assessment of children in relation to social skills (p=0,044), in the final self-evaluation (p=0,010) and in the final emotional regulation evaluation (p=0,011). This research presents satisfactory results with the application of the TRI-P, since it decreased the levels of behavior problems and mood lability and increased the emotional regulation scores and social skills in the children undergoing the intervention. Thus, it was presented as an effective proposal to prevent emotional behavior problems of children in the school environment.
Keywords: Criança
Saúde Mental
Prevenção
Escola
Child
Mental Health
Prevention
School
CNPQ Knowledge Areas: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Escola de Ciências da Saúde
Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Access type: Acesso Aberto
Fulltext access restriction: Trabalho será publicado como artigo ou livro
Time to release fulltext: 60 meses
Date to release fulltext: 11/02/2025
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/9092
Issue Date: 16-Dec-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DIS_MARINA_HEINEN_CONFIDENCIAL.pdfMARINA_HEINEN_DIS469,9 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.