Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8965
Document type: Tese
Title: A prática de lembrar em treinamento corporativo : translação da pesquisa básica para a pesquisa aplicada
Author: Oliveira, Letícia Horn 
Advisor: Stein, Lilian Milnitsky
Abstract (native): Investigações na área da metacognição e aprendizagem em contexto escolar vem demonstrando os benefícios da prática de recuperação da memória, através da utilização de testes, há mais de um século. Por meio do “efeito de teste”, que trata da utilização de testagem como ferramenta de aprendizagem, é possível predizer que é muito mais eficiente recordar informações aprendidas quando praticam-se exercícios como testes de recordação livre e múltipla escolha, do que o estudo via releitura de materiais. Essa técnica, conhecida como Prática de Lembrar (traduzida do inglês Retrieval Practice), vem sendo amplamente estudada na literatura internacional. A presente tese teve como foco principal investigar como a Prática de Lembrar pode também promover melhor aprendizagem de conteúdo lecionado em treinamento corporativo. Para atingir esse objetivo, buscou-se primeiramente com o artigo de revisão conceitual intitulado A autorregulação, avaliação e promoção da aprendizagem por meio da prática de recuperação da memória, abordar a questão da avaliação como promotora dos processos de aprendizagem em sala de aula. O artigo discute, entre outros aspectos, que uma avaliação realizada em etapas estanques acaba por desconsiderar o caráter processual da apropriação dos conceitos na relação de aprendizagem. Nesse sentido, a avaliação deveria ter como caráter principal apontar caminhos para melhorar ações pedagógicas. A maneira como as avaliações frequentemente ocorrem hoje estão mais a serviço de uma detecção quantitativa do que o aluno conseguiu memorizar, naquele momento em que o instrumento de avaliação é aplicado, do que para uma promoção da aprendizagem. O artigo aborda as principais investigações a respeito do efeito de se testar conteúdos como uma metodologia a serviço da consolidação da memória nos processos de ensino e autorregulação do estudo pelos estudantes, para além da aplicação de testes e provas em exames finais. Concluiu-se que o processo de ensinar em pequenos passos, por meio da utilização de testes frequentes, guiando a prática do estudante, se mostra um caminho favorável para promover o processo de aprendizagem do aluno, trazendo resultados significativos a longo prazo. Antes de buscar aplicar os princípios da Prática de Lembrar em treinamento corporativo buscou-se com o artigo intitulado Entre o ideal e o real na Avaliação de Aprendizagem em Treinamento Corporativo compreender como os instrutores de treinamento vem realizando as avaliações de aprendizagem em seus cursos e os tipos de avaliações realizadas nas organizações. Foram entrevistados instrutores com experiência na realização de treinamentos in company de forma a identificar quais as principais estratégias utilizadas nas medições de aprendizagem do conteúdo desenvolvido em treinamento, como também conhecer os desafios na área de avaliação. Esse estudo permitiu compreender questões relacionadas à avaliação de aprendizagem em treinamento corporativo identificando que há um hiato entre o que os modelos apontam na literatura e a prática de trabalho. Predomina na prática das organizações a Avaliação de Reação imediata, ferramenta que avalia apenas questões relacionadas à organização do treinamento e didática do instrutor. Essa ferramenta não permite mensurar o quanto os aprendizes retém do conteúdo aprendido e nem determinar o quanto o treinamento foi efetivo e teve seus objetivos alcançados. Os entrevistados, apesar de aplicarem avaliação de reação em seus cursos, compreendem que as ferramentas que utilizam não são as ideais quando se trata de avaliar a aprendizagem em função do treinamento. Os participantes relataram que isso se deve a uma falta de suporte e conhecimento sobre o processo de aprendizagem, por parte das organizações que, muitas vezes, disponibilizam aos instrutores recursos de tempo limitado para a realização do processo de avaliação. As avaliações, quando realizadas, ocorrem de forma pontual e sem um acompanhamento posterior. Sendo assim, não são avaliados indicadores para verificação do impacto do treinamento no trabalho. Esse segundo artigo serviu de subsídio para o terceiro e último artigo da tese intitulado A Prática de Lembrar em ambiente real de aprendizagem: pesquisa experimental em treinamento corporativo que apresentou a realização de um experimento com trabalhadores de uma fábrica na tentativa de translação da pesquisa básica para a pesquisa aplicada, por meio da utilização da Prática de Lembrar em uma atividade de treinamento corporativo. Sabendo-se da relevância do efeito de teste no processo de ensino-aprendizagem em estudos com escolares de ensino fundamental, médio e universitário, buscou-se, com este experimento, verificar o efeito da prática de recuperação da memória em ambiente real de treinamento. Assim, foi realizado um treinamento com 89 trabalhadores, comparando o efeito das duas modalidades do Design Instrucional (Reestudo X Prática de Lembrar), para aprendizagem. A hipótese principal do estudo, era a de que o grupo de Prática de Lembrar, que realizou a aplicação de testes de respostas curtas, teria incremento recordação de conteúdo posterior ao treinamento em relação ao grupo que apenas realizou releitura. Porém, o experimento concluiu que não houve diferença significativa entre os dois grupos do Design Instrucional na recordação das informações a longo prazo, quando realizado o Teste Final, após 12 dias de intervalo. Para a análise de possíveis variáveis intervenientes no resultado do presente experimento, para além do Design Instrucional, foram aplicados em todos os participantes testes para medir a capacidade de memória operacional, acesso a memória de longo prazo e inteligência. Foram aplicados testes t (Student) para ambos os grupos do Design Instrucional, que foram equivalentes em todas as variáveis cognitivas (p>0,05). Foi também realizada análise de covariância (ANCOVA) para testar se o efeito do Design Instrucional poderia estar sendo mediado pelas variáveis cognitivas. Os resultados da análise ANCOVA entre grupos para Design Instrucional (Prática Lembrar X Reestudo) e para as covariáveis (inteligência, capacidade de memória operacional e acesso a memória de longo prazo) não revelaram um efeito principal para Design Instrucional. Por outro lado, esta análise evidenciou um efeito principal para inteligência F(1, 84) = 25.429, p = .0001, ηp2 .232. Em síntese, quem apresentou maior nível de inteligência tendeu a obter melhor desempenho no Teste Final, independentemente do Design Instrucional. Contudo, o poder explicativo dos resultados no Teste Final a partir deste modelo de ANCOVA foi bastante restrito (R2= .211). As pesquisas na literatura, apresentando os benefícios que a utilização da Prática de Lembrar pode proporcionar, foram realizadas, eminentemente, em ambiente escolar e de “laboratório”. Sendo assim, uma das hipóteses explicativas para os resultados do presente experimento foi a de que questões metodológicas, como os ruídos que um ambiente real de ensino, a dispersão e a pressão de trabalho, na ocasião da coleta dos dados, pode ter afetado os resultados do estudo. Além disso, este foi um estudo inédito, sendo o primeiro experimento utilizando a Prática de Lembrar realizado com um grupo de adultos com baixa escolaridade e em ambiente real de aprendizagem, voltado à capacitação profissional. Um público que, em sua maioria, nunca havia recebido um treinamento dessa natureza. Um perfil populacional ainda pouco explorado nas pesquisas sobre Prática de Lembrar levando a novas discussões sobre questões ainda não consolidadas na literatura. O experimento, realizado em ambiente organizacional de fábrica, também trouxe à tona os desafios que se apresentam quando realizada a translação da pesquisa básica para a pesquisa aplicada, em contexto real de aprendizagem.
Abstract (english): Investigations in the area of metacognition and learning in school context have been demonstrating the benefits of memory recovery practice through the use of tests for over a century. Through the “test effect”, which deals with the use of testing as a learning tool, it is possible to predict that it is much more efficient to remember information learned when doing exercises such as free and multiple choice recall tests than rereading study of materials. This technique, known as the Retrieval Practice, has been widely studied in the international literature. In this sense, the present thesis had as main focus to investigate how the Practice of Remembering can also promote better learning of content taught in corporate training. In order to achieve this goal, it was first sought with the conceptual review article entitled Self-regulation, assessment and promotion of learning through the practice of memory recovery, addressing the question of assessment as a promoter of learning processes in the classroom. The article discusses, among other aspects, that an assessment carried out in watertight stages ends up disregarding the procedural character of the appropriation of concepts in the learning relationship. In this sense, the evaluation should have as its main character to point out ways to improve pedagogical actions. The way in which assessments often take place today is more in the service of quantitative detection than the student has been able to memorize at that time when the assessment instrument is applied, rather than to promote learning. The article discusses the main investigations regarding the effect of testing contents as a methodology to serve memory consolidation in the teaching and self-regulation processes of students, in addition to the application of tests and tests in final exams. It was concluded that the process of teaching in small steps, through the use of frequent tests, guiding the student practice, proves to be a favorable way to promote the student learning process, bringing significant long term results. Before seeking to apply the principles of the Practice of Remembering in corporate training, we sought with the article entitled Between the Ideal and the Real in Learning Assessment in Corporate Training to understand how training instructors have been conducting the learning assessments in their courses and the types of assessments performed in organizations. Fifteen instructors with experience in conducting in-company training were interviewed in order to identify the main strategies used in the measurement of learning content in training and also to know the challenges in the evaluation area. This study allowed us to understand questions related to learning assessment in corporate training, identifying that there is a gap between what models point out in the literature and work practice. There is a gap between what models point out in the literature and work practice. Immediate Reaction Assessment predominates in the practice of organizations, a tool that evaluates only issues related to the organization of training and didactics of the instructor. This tool does not allow you to measure how much learners retain from the learned content nor to determine how effective the training was and achieved its objectives. Respondents, while applying reaction assessment in their courses, understand that the tools they use are not ideal when it comes to assessing learning as a function of training. Participants reported that this is due to a lack of support and knowledge about the learning process by organizations that often provide instructors with limited time resources to complete the assessment process. The evaluations, when performed, occur punctually and without further follow-up. Therefore, indicators are not evaluated to verify the impact of training at work. This second article served as a subsidy for the third and final article of the tesis entitled The Practice of Remembering in a Real Learning Environment: Experimental Research in Corporate Training, which presented an experiment with factory workers in an attempt to translate basic research into research. applied through the use of Remembering Practice in a corporate training activity. Knowing the relevance of the test effect in the teaching-learning process in studies with elementary, middle and high school students, this experiment aimed to verify the effect of memory recovery practice in real training environment. Thus, a training was performed with 89 workers comparing the effect of the two modalities of Instructional Design (Restudy X Remembering Practice) were performed, comparing which technique would be more efficient for learning. The main hypothesis of the study was that the Remember Practice group, which performed the application of shortanswer tests, would have greater recall of post-training content than the group that only reread. However, the experiment concluded that there was no significant difference between the two Instructional Design groups in recalling long-term information when the Final Test was performed after 12 days apart. For the analysis of possible intervening variables in the result of the present experiment, in addition to Instructional Design, tests were applied to all participants to measure working memory capacity, long-term memory access and intelligence. Student's t-tests were applied for both Instructional Design groups, which were equivalent in all cognitive variables (p> 0.05). Covariance analysis (ANCOVA) was also performed to test whether the effect of Instructional Design could be mediated by cognitive variables. The results of the ANCOVA analysis between groups for Instructional Design (Remember vs. Re-Study Practice) and for covariates (intelligence, working memory capacity, and long-term memory access) did not reveal a major effect for Instructional Design. On the other hand, this analysis showed a major effect for intelligence F (1, 84) = 25,429, p = .0001, ηp2 .232. In short, those with the highest level of intelligence tended to perform better in the Final Test, regardless of Instructional Design. However, the explanatory power of the Final Test results from this ANCOVA model was quite restricted (R2 = .211). Research in the literature, presenting the benefits that the use of Remembering Practice can provide, was eminently carried out in a school and “laboratory” environment. Thus, one of the explanatory hypotheses for the results of this present experiment was that methodological issues, like the noises that a real teaching environment, the dispersion and the working pressure at the time of data collection may have affected the results of the study. In addition, this was an unprecedented study, being the first experiment using Remembering Practice conducted with a group of adults with low education and in a real learning environment, focused on professional training. An audience that, for the most part, had never received such training. A population profile still little explored in research on Remembering Practice leading to new discussions on issues not yet consolidated in the literature. The experiment, carried out in a factory organizational environment, also brought to light the challenges that arise when translating basic research to applied research in a real learning context.
Keywords: Avaliação de Aprendizagem
Prática de Lembrar
Treinamento Corporativo
CNPQ Knowledge Areas: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Escola de Ciências da Saúde e da Vida
Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Access type: Acesso Aberto
Fulltext access restriction: Trabalho será publicado como artigo ou livro
Time to release fulltext: 60 meses
Date to release fulltext: 22/10/2024
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8965
Issue Date: 17-Jun-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TES_LETICIA_HORN_OLIVEIRA_CONFIDENCIAL.pdfLETICIA_HORN_OLIVEIRA_TES1.75 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.