Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/10154
Document type: Tese
Title: A produção discursiva oral em idosos típicos e com Doença de Alzheimer
Author: Malcorra, Bárbara Luzia Covatti
Advisor: Hubner, Lilian Cristine
First advisor-co: Wilson, Maximiliano A.
Abstract (native): A produção discursiva oral faz parte do nosso dia a dia, cumprindo diversas funções nas relações sociais. No caso dos adultos idosos, em que alterações típicas do envelhecimento podem ocorrer, o diagnóstico de alterações nas habilidades discursivas apresenta-se como uma ferramenta para a detecção precoce de distúrbios indicativos de doenças neurodegenerativas, tais como a Doença de Alzheimer (DA). A presente tese é composta por quatro estudos. O primeiro estudo teve como objetivo verificar, por meio de uma revisão sistemática, quais as tarefas comumente utilizadas para elucidação da produção discursiva oral do adulto idoso e a relação desta com escolaridade e hábitos de leitura e escrita (HLE). Verificou-se que grande parte das pesquisas utiliza tarefas com estímulos visuais, sobretudo em seu formato sequencial, enquanto uma pequena parte utiliza tarefas baseadas em eventos autobiográficos, conversações livres ou descrição de procedimentos. Poucos estudos investigam o efeito da escolaridade, enquanto nenhum estudo investiga o efeito dos HLE. Tais resultados apontam para lacunas a serem preenchidas por estudos futuros. O segundo estudo buscou investigar o efeito da escolaridade e dos HLE na produção discursiva oral de adultos idosos típicos. Para tanto, os participantes (n=117) produziram uma narrativa baseada em uma sequência de sete figuras. Aspectos macro e microestruturais das narrativas, bem como modalizações, foram quantificados manualmente. Verificou-se um efeito da escolaridade na macro e na microestrutura discursiva, bem como um efeito dos HLE na produção de menos modalizações, demonstrando o efeito positivo desses fatores socioculturais na produção discursiva oral. O terceiro estudo teve como objetivo investigar a associação de recorrências de curto e longo alcance com idade, escolaridade e HLE em adultos idosos típicos. Para tanto, as transcrições das narrativas de 118 adultos típicos - com idade entre 51 e 82 anos e, em média, 10 anos de escolaridade - foram representadas como um grafo de trajetória de palavras, em que cada palavra é representada como um nó e o vínculo temporal entre palavras consecutivas é representado por uma aresta, usando o software Speech Graphs. Com esse método, é possível mensurar o grau de conectividade das palavras que compõem um texto a partir do número total de arestas que chegam ou partem dos nós. A partir disso, foram extraídos três atributos de grafos: (1) o número total de arestas repetidas (RE - repeated edges), definida como a soma de todas as arestas que ligam o mesmo par de nós; (2) o número de nós no maior componente conectado (LCC - largest connected component), definido como o maior conjunto de nós direta ou indiretamente ligados por algum caminho; (3) o número de nós no maior componente fortemente conectado (LSC - largest strongly connected component), definido como o maior conjunto de nós direta ou indiretamente ligados por caminhos recíprocos, de modo que todos os nós no componente são mutuamente alcançáveis. O avanço da idade levou ao aumento das arestas repetidas (isto é, de recorrências de curto alcance) e à redução da conectividade (recorrências de longo alcance), tornando o discurso oral mais repetitivo e menos conectado. Essa relação perdeu significância estatística quando corrigida para escolaridade e HLE, sugerindo um efeito protetor da leitura sobre a cognição em uma população de baixo nível educacional. Por fim, o quarto estudo buscou verificar se atributos de grafos podem diferenciar a produção de narrativas orais de adultos com DA (n=24) e adultos típicos (n=48). Três atributos foram analisados: (1) o número de arestas (E - edges); (2) LCC; e (3) LSC. Participantes com DA produziram narrativas menos conectadas do que os participantes do grupo controle. A baixa conectividade foi associada a um pior desempenho da memória semântica exclusivamente em participantes com DA. Tais resultados indicam que a fala conectada e a análise dos atributos de grafos representam uma ferramenta prática para avaliar o comprometimento cognitivo em idosos com DA, podendo auxiliar no seu diagnóstico e detecção precoce. Os estudos desenvolvidos demonstram o potencial da análise linguística do nível do discurso na compreensão da relação entre linguagem e fatores cognitivos e socioculturais, bem como na detecção de distúrbios cognitivos.
Abstract (english): Oral discursive production is part of our daily lives, fulfilling several functions in social relationships. In the case of older adults, in which cognitive changes typical of aging can occur, the diagnosis of alterations in discursive skills presents itself as a tool for the early detection of disorders indicative of neurodegenerative diseases, such as Alzheimer’s Disease (AD). This thesis is composed of four studies. The first study aimed to verify, through a systematic review, which tasks are commonly used to elucidate the oral discursive production in older adults and their relation with education and reading and writing habits (RWH). It was found that most of the studies used tasks with visual stimuli (i.e., images), especially in a sequential format, while a small part of the studies used tasks based on autobiographical events, free conversations, or descriptions of procedures. Few studies investigated the effect of education, while no study addressed the effect of RWH. Such results point to gaps to be filled by future studies. The second study sought to investigate the effect of education and RWH on the oral discursive production of typical older adults. To this end, participants (n=117) produced a narrative based on a sequence of seven images. Macro and microstructural measures, as well as modalizations, were computed and entered as dependent variables in hierarchical regression analyses that included age, education, and RWH as regressors. We found an effect of education on the discursive macro and microstructure, and an effect of RWH on the production of modalizations. While formal education explained a better performance at the macro- and microstructure dimensions, the frequency of RWH explained the production of fewer modalizations. This highlights the positive effects of these socio-cultural factors on oral discursive production. The third study aimed to investigate the association of short- and long-range recurrences with age, education, and RWH in typical older adults. We represented, using Speech Graphs software, the transcripts of the narratives of 118 typical adults - aged between 51 and 82 years old and, on average, 10 years of formal education - as a word trajectory graph, in which each word is represented as a node and the temporal link between consecutive words is represented by an edge. This method makes it possible to measure the degree of connectivity of the words that compose a text from the total number of incoming and outcoming edges of the nodes. From this, three graph attributes were extracted: (1) the total number of repeated edges (RE - repeated edges), defined as the sum of all edges connecting the same pair of nodes; (2) the number of nodes in the largest connected component (LCC), defined as the largest set of nodes directly or indirectly connected by some path; (3) the number of nodes in the largest strongly connected component (LSC), defined as the largest set of nodes directly or indirectly connected by reciprocal paths, such that all nodes in the component that are mutually reachable. The increase in age led to an increase in repeated edges (i.e., short-range recurrences) and reduced connectivity (long-range recurrences). This made oral speech more repetitive and less connected. This relationship lost statistical significance when corrected for education and RWH, suggesting a protective effect of reading on cognition in a low-education population. Finally, the fourth study sought to verify whether graph attributes can differentiate the production of oral narratives of adults with AD (n=24) and typical adults (n=48). Three graph attributes were analyzed: (1) the number of edges (E - edges); (2) LCC; and (3) LSC. Participants with AD produced less connected narratives than the control group. Low connectivity was associated with poorer semantic memory performance in participants with AD. Such results indicate that connected speech and the analysis of graph attributes represent a practical tool to assess cognitive impairment in elderly people with AD. In turn, this might help AD early detection and diagnosis. In sum, the studies of this thesis stress the potential of linguistic analysis at the speech level to understand the relationship between language and cognitive and sociocultural factors and to detect cognitive impairment.
Keywords: Envelhecimento Típico
Doença de Alzheimer
Escolaridade
Hábitos de Leitura e Escrita
Produção Discursiva Oral
CNPQ Knowledge Areas: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Escola de Humanidades
Program: Programa de Pós-Graduação em Letras
Access type: Acesso Aberto
Fulltext access restriction: Trabalho será publicado como artigo ou livro
Time to release fulltext: 12 meses
Date to release fulltext: 25/04/2023
URI: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/10154
Issue Date: 25-Feb-2022
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TES_BARBARA_LUZIA_COVATTI_MALCORRA_COMPLETO.pdfBARBARA_LUZIA_COVATTI_MALCORRA_TES2,38 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.