Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8943
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSouza, Lauren Heineck de-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0663030734103282por
dc.contributor.advisor1Oliveira, Margareth da Silva-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7121998100717120por
dc.date.accessioned2019-10-16T12:04:46Z-
dc.date.issued2019-02-26-
dc.identifier.urihttp://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8943-
dc.description.resumoA Terapia do Esquema (TE) é uma abordagem terapêutica integrativa com base na Terapia Cognitivo-Comportamental e elementos de teoria do apego, das relações objetais, abordagens psicodinâmicas, terapia cognitivo-analítica, dos esquemas pessoais, focada na emoção e gestalt. A TE permite uma compreensão ampliada sobre aspectos patológicos da personalidade e proporciona modelos explicativos para diferentes psicopatologias, bem como estratégias de intervenção. Esta compreensão tem como base os Esquemas Inciais Desadaptativos (EIDs), que são estruturas disfuncionais formadas por cognições, emoções, memórias e sensações. Os EIDs são desenvolvidos ao longo da infância e adolescência a partir das necessidades básicas não-supridas, processo que ocorre na interação entre o temperamento do indivíduo e o ambiente no qual esteve inserido. Para auxiliar na identificação dos EIDs, foi desenvolvido do Questionário de Esquemas de Young – versão breve (YSQ-S3). Este instrumento tem sido muito utilizado em pesquisas e permite importantes avanços em estudos sobre o modelo teórico e avaliação de intervenções em TE. O YSQ-S3 é um instrumento de autorrelato com 90 itens e escala Likert de seis pontos. A presente dissertação tem como objetivo geral apresentar os processos de adaptação e estudo das evidências de validade do YSQ-S3 para uso no Brasil. Inicialmente, é apresentada uma seção teórica com fundamentação teórica sobre a temática da dissertação, incluindo a TE, os EIDs e uma revisão sobre estudos que avaliaram as evidências de validade do YSQ-S3 em outros países. A seção empírica da dissertação é dividida em três estudos empíricos. O primeiro estudo, intitulado “Adaptação brasileira do Questionário de Esquemas de Young – versão breve (YSQ-S3)”, tem como objetivo apresentar a adaptação semântica do YSQ-S3 para o Brasil e suas evidências preliminares de consistência interna. Na adaptação, foram seguidos os processos exigidos pela International Society of Schema Therapy (ISST) de tradução, revisão e retrotradução. Além disso, foram contempladas etapas adicionais de avaliação com três experts, avaliação do público-alvo com grupo focal de oito participantes e estudo-piloto com 10 participantes. Posteriormente, o YSQ-S3 foi aplicado com 200 indivíduos para análise da consistência interna do instrumento. No que se refere ao processo de adaptação, são descritos no estudo os itens que passaram por modificações linguísticas para manutenção dos conteúdos dos itens e as sugestões dos experts. Nas etapas de avaliação com o público-alvo, todos participantes referiram compreensão total dos itens e facilidade no preenchimento, com exceção de alguns itens referentes ao EID Isolamento Social, que são descritos no estudo. A consistência interna geral do instrumento foi classificada como excelente (α = 0.965) e satisfatória para todos os EIDs (α entre 0.76 e 0.92), com exceção do EID Arrogo (α = 0.67). Estes dados permitem constatar que o instrumento apresenta boa adequação semântica para uso no Brasil e evidências preliminares satisfatórias de consistência interna. O segundo estudo, intitulado “Evidências de validade da versão brasileira do Questionário de Esquemas de Young – versão breve (YSQ-S3)”, tem como objetivo apresentar evidências de validade interna e externa do instrumento. A coleta foi feita por conveniência e participaram 1.050 indivíduos de população que preencheram o YSQ-S3 e o Symptom Checklist (SCL-90). A estrutura fatorial foi investigada com Análise Fatorial Confirmatória (AFC) no ambiente R com o pacote lavaan, e a validade convergente a partir da correlação entre os EIDs e sintomas psicológicos clínicos. Os ajustes do modelo fatorial foram satisfatórios, ² (3.762) = 15.481.55, CFI = 0.98, TLI = 0.98, RMSEA = 0.054, SRMR = 0.055. No geral, os ajustes dos modelos fatoriais de cada subescala também foram satisfatórios e as medidas de fidedignidade composta e alpha ordinal foram todas superiores à 0.7. Na validade convergente, as análises de correlações bivariadas evidenciaram correlações positivas entre todos os EIDs e subescalas do SCL-90, indicando que quanto maior a ativação dos EIDs, maior a presença de sintomas psicológicos. As principais correlações são discutidas no estudo. Este estudo permitiu identificar evidências satisfatórias de validade estrutural e convergente. O terceiro estudo empírico, intitulado “Esquemas Inciais Desadaptativos: um estudo com análise de rede”, tem como objetivo apresentar um modelo de distribuição dos EIDs em Domínios Esquemáticos, bem como identificar aspectos de centralidade e conectividade entre os EIDs. O YSQ-S3 foi aplicado com 1.050 indivíduos de população geral. Os dados foram analisados com base na análise de rede para dados gaussianos, com técnica machine learning e aplicação de um parâmetro de penalização por meio do algoritmo GeLASSO. Para identificar os subgrupos, foi conduzida uma análise de comunidade. Também foram estimadas medidas de centralidade (expected influence), conectividade (betweness) e as distâncias mais curtas (shortest paths) entre as variáveis. Os dados foram analisados no ambiente R, com os pacotes qgraph e igraph. A partir da análise de comunidades, foi indentificado um modelo de quatro Domínios, intitulados: “Desconexão e Rejeição”; “Previsão negativa do futuro e vulnerabilidade”, “Autonomia e desempenho prejudicados”, e “Padrões excessivos e busca por status”. Neste estudo, são expostas as descrições dos Domínios e possíveis explicações sobre as necessidades básicas são-supridas em cada um deles. A partir da medida de centralidade “expected influence”, foi possível identificar os EIDs com maior potencial de ativação da rede: Subjugação; Negatividade; Defectividade/Vergonha; e Abandono. Na medida de conectividade “betwenness”, destacaram-se com importantes mediadores, os EIDs: Defectividade/Vergonha; Padrões Inflexíveis; Fracasso e Abandono. Tanto nas medidas de centralidade e conectividade, destacam-se enquanto especialmente danosos, os EIDs de Defectividade/Vergonha e Abandono. Os resultados permitem avanços na compreensão empírica do modelo.por
dc.description.abstractSchema Therapy (ST) is an integrative therapeutic approach based on Cognitive-Behavioral Therapy and elements of attachment and object relations theory, psychodynamic approaches, Cognitive Analytic Therapy, personal schemas, Emotion Focused and Gestalt Therapy. ST allows an extended understanding about pathological aspects of the personality and provides explanatory models for different psychopathologies, as well as intervention strategies. This understanding is based on Early Maladaptive Schemas (EMSs), which are dysfunctional structures formed by cognitions, emotions, memories and sensations. EMSs are developed throughout childhood and adolescence from basic emotional needs that are not met, a process that occurs in the interaction between the individual's temperament and the environment in which the individual was inserted. To aid in the identification of EMSs, the Young Schema Questionnaire - short version (YSQ-S3) was developed. This instrument has been widely used in research and allows for important advances in studies on the theoretical model and evaluation of interventions in ST. The YSQ-S3 is a self-report instrument with 90 items and a 6-point Likert scale. The present dissertation aims to present the processes of adaptation and study of the validity evidences of YSQ-S3 for use in Brazil. Initially, a theoretical section is presented, with theoretical foundation on ST, the EMSs and a review on studies that evaluated the evidence of validity of the YSQ-S3 in other countries. The empirical section of the dissertation is divided into three empirical articles. The first article, titled "Brazilian Adaptation of the Young Schema Questionnaire - Short Version (YSQ-S3)", aims to present the semantic adaptation of the YSQ-S3 to Brazil and its preliminary evidence of internal consistency. In the adaptation, the procedures required by the International Society of Schema Therapy (ISST) for translation, revision and back-translation were followed. Moreover, additional evaluation steps were considered with three experts, focus group evaluation and a pilot study with 10 participants. Subsequently, the YSQ-S3 was applied with 200 individuals to analyze the internal consistency of the instrument. With regard to the adaptation process, the article describes the items that have undergone linguistic modifications to maintain the contents of the items and the suggestions of the experts. In the evaluation stages with the target audience, all participants reported a complete understanding of the items and ease of completion, except for some items related to the Social Isolation EMSs, which are described in the article. The overall internal consistency of the instrument was classified as excellent (α = 0.965) and satisfactory for all EMSs (α between 0.76 and 0.92), except for the Entitlement EMS (α = 0.67). These data allow us to verify that the instrument presents good semantic adequacy for use in Brazil and satisfactory preliminary evidences of internal consistency. The second study, entitled "Evidence of validity of the Brazilian version of the Young Schema Questionnaire - short version (YSQ-S3)", aims to present evidence of internal and external validity of the instrument. The collection was done for convenience and 1,050 individuals from the population who completed the YSQ-S3 and the Symptom Checklist (SCL-90) participated. The factorial structure was investigated with Factorial Confirmatory Analysis (FCA) in the R environment with the lavaan package, and the convergent validity based on the correlation between the EMSs and clinical psychological symptoms. The adjustments of the factorial model were satisfactory, ² (3.762) = 15.481.55, CFI = 0.98, TLI = 0.98, RMSEA = 0.054, SRMR = 0.055. In general, adjustments of the factorial models of each subscale were also satisfactory and the measures of composite reliability and ordinal alpha were all higher than 0.7. In the convergent validity, bivariate correlation analyzes showed positive correlations between all EMSs and SCL-90 subscales, indicating that the greater the activation of EMSs, the greater the presence of psychological symptoms. The main correlations are discussed in the article. This study allowed for identification of satisfactory evidences of structural and convergent validity. The third empirical article, entitled "Early Maladaptive Schemas: A Study with Network Analysis", aims to present a model for the distribution of EMSs in Schema Domains, as well as to identify aspects of centrality and connectivity between EMSs. From the analysis of communities, a model of four Domains was identified, entitled: "Disconnection and Rejection"; "Negative future prediction and vulnerability," "Impaired Autonomy and performance," and "Excessive standards and status search." In the article, the descriptions of the Domains are explained and possible explanations about the basic necessities are supplied in each of them. From the "expected influence" centrality measure, it was possible to identify the EMSs with the greatest network activation potential: Subjugation; Negativity; Defectiveness/Shame; and Abandonment. As far as connectivity "betwenness", the EMSs were highlighted with important mediators: Defectiveness/Shame; Unrelenting Standards; Failure and Abandonment. In both measures of centrality and connectivity, the EMSs of Defectiveness/Shame and Abandonment stand out as especially damaging. The results allow advances in the empirical understanding of the model.por
dc.description.provenanceSubmitted by PPG Psicologia ([email protected]) on 2019-10-03T13:23:36Z No. of bitstreams: 1 LAUREN_HEINECK _DE _SOUZA_DIS.pdf: 2007648 bytes, checksum: dbee4708e25d66f5c9f55c88838546c8 (MD5)eng
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Sheila Dias ([email protected]) on 2019-10-16T11:54:38Z (GMT) No. of bitstreams: 1 LAUREN_HEINECK _DE _SOUZA_DIS.pdf: 2007648 bytes, checksum: dbee4708e25d66f5c9f55c88838546c8 (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2019-10-16T12:04:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 LAUREN_HEINECK _DE _SOUZA_DIS.pdf: 2007648 bytes, checksum: dbee4708e25d66f5c9f55c88838546c8 (MD5) Previous issue date: 2019-02-26eng
dc.description.sponsorshipCNPQpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucrs.br:80/tede2/retrieve/176808/DIS_LAUREN_HEINECK_DE_SOUZA_CONFIDENCIAL.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpor
dc.publisher.departmentEscola de Ciências da Saúde e da Vidapor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsPUCRSpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectTerapia do Esquemapor
dc.subjectQuestionário de Esquemas de Youngpor
dc.subjectAdaptaçãopor
dc.subjectValidaçãopor
dc.subjectAnálise de Redepor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApor
dc.titleAdaptação e validação do questionário de esquemas de Young - versão breve (ysq-s3) para uso no Brasilpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.restricao.situacaoTrabalho será publicado como artigo ou livropor
dc.restricao.prazo60 mesespor
dc.restricao.dataliberacao16/10/2024por
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DIS_LAUREN_HEINECK_DE_SOUZA_CONFIDENCIAL.pdfLAUREN_HEINECK_DE_SOUZA_DIS507.79 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.