Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/497
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorKrug, Suzane Beatriz Frantz-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4708225H6por
dc.contributor.advisor1Mendes, Jussara Maria Rosa-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4703696D5por
dc.date.accessioned2015-04-14T13:20:21Z-
dc.date.available2006-09-29-
dc.date.issued2006-07-24-
dc.identifier.citationKRUG, Suzane Beatriz Frantz. Sofrimento no trabalho : a construção social do adoecimento de trabalhadoras da saúde. 2006. 196 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.por
dc.identifier.urihttp://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/497-
dc.description.resumoNo atual contexto mundial, permeado pelo avanço tecnológico e pelas constantes modificações estruturais que atravessam, especificamente o mundo do trabalho, são significativas as repercussões na ocorrência de patologias e acidentes de trabalho que acometem os trabalhadores. Esses compartilham um adoecer e morrer com o conjunto da população, caracterizado pelas patologias comuns, e ainda, um adoecer específico relacionado à sua atividade laboral. Nesse sentido, este estudo teve como propósito analisar e refletir sobre os fatores que contribuem para o sofrimento no trabalho, na perspectiva da construção social do adoecimento das trabalhadoras da saúde, a partir do processo de trabalho desenvolvido nos serviços públicos de saúde. A abordagem do trabalho da mulher e a saúde no trabalho conciliou análises que articularam o processo de trabalho em saúde e seus princípios organizativos no envolvimento do serviço público, sob uma perspectiva de gênero. Metodologicamente, os caminhos da investigação, no movimento dialético do ir e vir, seguiram a trajetória do estudo qualitativo, utilizando a entrevista com 17 trabalhadoras da saúde e os registros no diário de campo como instrumentos de coleta de dados. Utilizando-se da avaliação qualitativa, os dados foram analisados à luz do método de Análise de Conteúdo, através de análise temática. Do contato com as trabalhadoras, emergiram histórias diversas, mas ao mesmo tempo semelhantes, em espaços institucionais diferentes, demonstrando que o sofrimento no trabalho não é um estado explícito, de fácil identificação, que acaba se expressando de forma não verbal e não visível, traduzindo a invisibilidade social dessa situação. Nessa perspectiva, as situações de sofrimento e adoecimento vinculados ao trabalho foram expressas veladamente nas narrativas das trabalhadoras. Os fatores que levam ao sofrimento e adoecimento estiveram relacionados aos embates com o usuário no atendimento no serviço de saúde, à falta de cooperação e de reconhecimento no trabalho, entre os colegas e superiores hierárquicos, decorrente de uma estrutura organizacional pouco flexível e fragmentada em relação à divisão de tarefas, também às exigências incessantes por produtividade no trabalho em saúde, às interferências político-partidárias e às determinações administrativas. A adoção de estratégias defensivas para o enfrentamento do sofrimento é uma prática inerente ao trabalho em saúde, sem a percepção visível pelas trabalhadoras da utilização dessas estratégias. A lógica de relações entre gênero e trabalho demonstrou a existência de jeitos específicos para o trabalho em saúde, remetendo a um contexto de invisibilidade das situações discriminatórias, que acabam por mascarar uma realidade, não percebida pelas próprias mulheres.por
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2015-04-14T13:20:21Z (GMT). No. of bitstreams: 1 381648.pdf: 1929965 bytes, checksum: 1213a7c63ccde7cd598e8f395455de8d (MD5) Previous issue date: 2006-07-24eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucrs.br:80/tede2/retrieve/6744/381648.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpor
dc.publisher.departmentFaculdade de Serviço Socialpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUCRSpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Serviço Socialpor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectTRABALHO E TRABALHADORESpor
dc.subjectSERVIÇO SOCIALpor
dc.subjectTRABALHADORES - DOENÇASpor
dc.subjectTRABALHADORES - SAÚDEpor
dc.subjectMULHERES - TRABALHOpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIALpor
dc.titleSofrimento no trabalho : a construção social do adoecimento de trabalhadoras da saúdepor
dc.typeTesepor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
381648.pdfTexto Completo1,88 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.