Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1933
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSilva, Daniela Silva da-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2173977742532214por
dc.contributor.advisor1Moreira, Maria Eunice-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783059Y6por
dc.date.accessioned2015-04-14T13:37:55Z-
dc.date.available2010-03-11-
dc.date.issued2010-01-06-
dc.identifier.citationSILVA, Daniela Silva da. Hibridização, discurso, mentalidade : frestas para uma história da literatura brasileira?. 2010. 309 f. Tese (Doutorado em Letras) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.por
dc.identifier.urihttp://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1933-
dc.description.resumoEstudo da hibridização no discurso do romance brasileiro, representado por Memórias de um sargento de milícias (1854-55), de Manuel Antônio de Almeida; Os sertões (1902), de Euclides da Cunha; Memórias sentimentais de João Miramar (1924), de Oswald de Andrade, e Boca do inferno (1989), de Ana Miranda, percebida como fonte ou fresta para uma história da literatura brasileira como história das mentalidades, tendo como base os conceitos de hibridização, situação de comunicação, estrutura, presença temporal e presença espacial. O estudo e a proposta contida nesta tese serão encaminhados em conformidade com os pressupostos teóricos do campo da Teoria Literária e da Teoria Linguística, provenientes, inicialmente, das pesquisas de Mikhail Bakhtin, Hans U. Gumbrecht, Friederike Meyer, Jacques Le Goff, Philippe Ariès e Émile Benveniste. Tal estudo parte da hipótese de que a enunciabilidade do texto narrativo pode ser uma fonte para uma história das mentalidades, uma vez que fornece informações sobre a sociedade brasileira e suas atitudes mentais, como hábitos, comportamentos, modos de vida, de uma forma não determinada, mas em termos de variedade e diferença. O romance brasileiro é uma estrutura textual hibridizada que oferece elementos que podem ser lidos historicamente como monumentos, representações, signos e sintomas de momentos históricos. Isso nos ajudaria a ver a(s) história(s) da literatura, no contexto nacional, a partir de um ponto de vista não-linear e sincrônico, ao longo de suas (trans)formações.por
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2015-04-14T13:37:55Z (GMT). No. of bitstreams: 1 421483.pdf: 3506218 bytes, checksum: 4b622842a042718a2a5521d6d012efa6 (MD5) Previous issue date: 2010-01-06eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucrs.br:80/tede2/retrieve/9949/421483.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpor
dc.publisher.departmentFaculdade de Letraspor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUCRSpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Letraspor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectLITERATURA BRASILEIRA - HISTÓRIA E CRÍTICApor
dc.subjectROMANCES BRASILEIROS - HISTÓRIA E CRÍTICApor
dc.subjectTEORIA LITERÁRIApor
dc.subjectLINGÜÍSTICA DO TEXTOpor
dc.subjectANÁLISE DO DISCURSOpor
dc.subjectHIBRIDIZAÇÃOpor
dc.subjectMENTALIDADESpor
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRASpor
dc.titleHibridização, discurso, mentalidade : frestas para uma história da literatura brasileira?por
dc.typeTesepor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
421483.pdfTexto Completo3,42 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.