Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1453
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorLago, Patrícia Miranda do-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4164889Y8por
dc.contributor.advisor1Piva, Jefferson Pedro-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4708992T9por
dc.date.accessioned2015-04-14T13:33:12Z-
dc.date.available2007-05-23-
dc.date.issued2007-03-23-
dc.identifier.citationLAGO, Patrícia Miranda do. Intervenções médicas nas últimas 48 horas de vida de pacientes internados em UTIP em três regiões do Brasil. 2007. 144 f. Tese (Doutorado em Pediatria e Saúde da Criança) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.por
dc.identifier.urihttp://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1453-
dc.description.resumoResumo de Limitação no Suporte de vida Objetivo: Avaliar a incidência de limitação de suporte de vida (LSV) e as condutas médicas nas últimas 48 horas de vida de crianças internados em 7 UTIP de 3 regiões brasileiras. Desenho: Estudo transversal, multicêntrico e retrospectivo por revisão de prontuário. Local (setting): 7 UTIP de hospitais universitários e terciários localizados em 3 regiões Brasileiras, em Porto Alegre (2), São Paulo (2) e Salvador(3) Pacientes: todos pacientes que faleceram nas 7 UTIP no período entre Janeiro de 2003 e dezembro de 2004. Métodos e principais resultados: Dois residentes de cada serviço preencheram um protocolo padrão com dados demográficos, classificando o óbito (reanimação completa, ordem de não reanimar ou retirada de tratamento) e as condutas tomadas nas últimas 48 horas de vida. Os dados foram comparados utilizando teste t de Student, Anova, Qui quadrado e RR. Dos 561 óbitos, foram excluídos 36 com menos de 24 horas de internação, 61 com morte encefálica e 36 prontuários não localizados. Em 56,5% dos óbitos foram oferecidas manobras de ressuscitação cardiopulmonar, com diferença entre região sudeste e nordeste (p<0,001). A maior faixa etária (p=0,025) e maior tempo de internação na UTIP (p=0,001) foram fatores associados a não reanimação. Em apenas 52,7% dos pacientes com LSV houve descrição de plano no prontuário. O óbito sem suporte respiratório ocorreu em apenas 14 pacientes. Em 66,1% pacientes com ordem de não reanimar as drogas inotrópicas foram mantidas ou aumentadas. Conclusão: A incidência de LSV tem aumentado nas UTIP brasileiras, havendo diferenças entre regiões. A ordem de não reanimação ainda é a pratica mais em nosso meio, havendo tímidas iniciativas de retirada de suporte. Resumo de Morte encefálica Objetivo: Avaliar a incidência de Morte Encefálica (ME) bem como as condutas e protocolos adotados após esta confirmação diagnóstica em 7 UTIP localizadas em 3 regiões Brasileiras. Método: Estudo transversal e multicêntrico baseado na revisão e análise retrospectiva de prontuários de todos os óbitos ocorridos entre janeiro de 2003 e dezembro de 2004 em 7 UTIP localizadas em Porto Alegre (2), São Paulo (2) e Salvador (3). Dois residentes de cada serviço previamente treinados preencheram protocolo padronizado avaliando dados demográficos, a causa do óbito, critérios para diagnostico de ME e a conduta médica adotada. Resultados: Identificamos 525 óbitos, sendo 61 (11,6%) com diagnóstico de ME. A incidência de ME diferiu entre as 7 UTIP (24,2% a 4,5%; p=0,015), porém, sem diferença nas 3 regiões (12% x 15% x 7%; p=0,052). A causa mais freqüente foi Hemorragia Intracraniana (31,1%). Em 80% dos casos o diagnostico clinico de ME foi confirmado por exame complementar (100% na região sul, 68% na sudeste e 72% na nordeste, p=0,02). A retirada de suporte vital após diagnostico de ME diferiu nas 3 regiões, sendo mais rápida (p=0,04) no sul (1,8 ±1,9 hs) que no Sudeste (28,6 ±43,2hs) e Nordeste (15,5 ±17,1hs). Apenas 6 (9,8%) crianças com ME foram doadoras de órgãos. Conclusão: Apesar da lei que define critérios para Morte Encefálica existir no Brasil desde 1997, verificamos que ela não é obedecida uniformemente. Consequentemente, suporte vital desnecessário é ofertado a indivíduos já mortos, existindo ainda um modesto envolvimento das UTIP com doações de órgãospor
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2015-04-14T13:33:12Z (GMT). No. of bitstreams: 1 389153.pdf: 5164090 bytes, checksum: 0c506ce3d67b5420590c1fbe6e918dc3 (MD5) Previous issue date: 2007-03-23eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucrs.br:80/tede2/retrieve/8657/389153.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpor
dc.publisher.departmentFaculdade de Medicinapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUCRSpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Medicina/Pediatria e Saúde da Criançapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectUTI PEDIÁTRICApor
dc.subjectMORTE CEREBRALpor
dc.subjectÉTICA MÉDICApor
dc.subjectDOAÇÃO DE ÓRGÃOSpor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::PEDIATRIApor
dc.titleIntervenções médicas nas últimas 48 horas de vida de pacientes internados em UTIP em três regiões do Brasilpor
dc.typeTesepor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
389153.pdfTexto Completo5,04 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.