Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8839
Document type: Tese
Title: Prática de danças tradicionais do Rio Grande do Sul como fator de proteção para a mobilidade, experiência de quedas e qualidade de vida em idosos
Author: Oliveira, Cléia Rocha de 
Advisor: Mestriner, Regis Gemerasca
Abstract (native): Introdução: O crescimento da população idosa no Brasil é um fenômeno notável e consolidado sob o ponto de vista estatístico. Em decorrência desse fenômeno, há uma necessária preocupação no que concerne à atenção integral da saúde dessas pessoas. O envelhecimento humano é um processo universal, dinâmico e progressivo que acarreta em transformações morfológicas, bioquímicas, psíquicas, sociais e funcionais. Tais modificações resultam na diminuição da capacidade funcional sistêmica do idoso, reduzindo e limitando a capacidade do organismo, podendo deixá-lo mais vulnerável ao surgimento de doenças e de restrições funcionais. Objetivo: Este estudo visa avaliar se o hábito de praticar danças tradicionais do Rio Grande do Sul constitui-se como um fator protetor para a mobilidade corporal, ocorrência de quedas e qualidade de vida em indivíduos idosos moradores da região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Método: Foi realizado um estudo do tipo caso-controle, que visa verificar se o hábito de praticar dança regionalista do Rio Grande do Sul confere proteção quanto aos desfechos anteriormente mencionados. A amostra foi constituída por 54 indivíduos com idade igual ou superior a 60 anos de idade, de quaisquer gêneros, divididos em dois grupos, praticantes (caso) e não praticantes (controle) da dança regionalista do Rio Grande do Sul. Todos os idosos que aceitaram participar da investigação em pauta não possuíam restrições clínicas para a realização dos testes avaliativos propostos. Resultados: Os resultados demonstram que os idosos que praticam dança regionalista do Rio Grande do Sul distinguiram-se, significativamente, em diversos aspectos dos que não a praticam, evidenciando melhor mobilidade, autopercepção de qualidade de vida e menor experiência de quedas. Entretanto, a análise de regressão logística binária revelou efeitos discretos em relação à previsibilidade dessas variáveis de mobilidade, equilíbrio e quedas para determinar o hábito de dançar: a) especificamente a cada ml de água derramada no teste do Timed Up and Go em dupla-tarefa motora (TUG-DT) existiu uma chance 6% menor de o idoso pertencer ao grupo praticante de dança; b) além disso, o fato de o indivíduo não ter experienciado quedas elevou em 3,78 vezes as chances deste pertencer ao grupo praticante das danças tradicionais gaúchas, embora o achado apresente uma significância limítrofe. Por fim, verificou-se uma associação independente entre obter escores mais elevados no Mini exame do estado mental (MEEM) e na autopercepção de qualidade de vida com o hábito de dançar, bem como uma redução na quantidade de medicamentos de uso contínuo nesse grupo. Conclusões: Pode-se concluir que o hábito da prática de danças tradicionais do Rio Grande do Sul, provavelmente, confere benefícios independentes discretos quanto ao equilíbrio dinâmico dos idosos moradores da região Noroeste do estado e contribui para uma melhor qualidade de vida e, outrossim, a dança talvez reduza as chances de que seus praticantes experienciem quedas da própria altura. Assim, sugere-se a condução de ensaios clínicos controlados e randomizados para melhor compreender o real potencial terapêutico protetivo que as danças tradicionais do Rio Grande do Sul, eventualmente, conferem à população idosa.
Abstract (english): Introduction: The growth of the elderly population in Brazil is a remarkable and consolidated phenomenon from a statistical point of view. As a result of this phenomenon there is a necessary concern regarding the integral health care of these people. Human aging is a universal, dynamic and progressive process that leads to morphological, biochemical, psychic, social and functional transformations. Such modifications result in a decrease in the systemic functional capacity of the subject, reducing and limiting the capacity of the organism, making it more vulnerable to the emergence of diseases and functional restrictions. Objective: This study aims to evaluate if the habit of practicing traditional dances in Rio Grande do Sul constitutes a protective factor for body mobility, occurrence of falls and quality of life in elderly individuals living in the northwest region of the state of Rio Grande do Sul South. Method: A case-control study was carried out to verify if the habit of practicing regional dance in Rio Grande do Sul confers protection on the aforementioned outcomes. The sample consisted of 54 individuals aged 60 and over, of any gender, divided into two groups, practitioners (case) and non-practitioners (control) of the regional dance of Rio Grande do Sul. All subjects who accepted to participate in the research in question and had no clinical restrictions for the performance of the evaluation tests proposed. Results: The partial results show that the subjects that practice regional dance in Rio Grande do Sul differ significantly from those who do not practice it in several aspects, better mobility, self-perception of quality of life and less experience of falls for the group practicing the dance. However, the binary logistic regression analysis revealed very discrete effects in relation to the predictability of these variables of mobility, balance and falls to determine the habit of dancing: a). Specifically, to each mL of water poured in the TUG-DT test there was a 6% lower chance of the subject belonging to the dancing group; B). In addition, the fact that the subject did not experience falls had a 3.78-fold increase in his chances of being a member of the traditional gaucho dances group, although the finding had a borderline significance. Finally, there was an independent association between obtaining higher scores in the MMSE and the self-perception of quality of life with the habit of dancing, as well as a reduction in the amount of medication of continuous use in this group. Conclusions: It is possible to conclude that the habit of practicing traditional dances in Rio Grande do Sul probably gives discrete independent benefits as to the dynamic balance of elderly people living in the state of Rio Grande do Sul. Region of our state and contribute contributes to a better quality of life and also, the dance may reduce the chances that its practitioners will experience falls of their own height. Thus, we suggest conducting controlled and randomized clinical trials to better understand the real protective therapeutic potential that the traditional dances of Rio Grande do Sul eventually confer on the elderly population.
Keywords: Quedas
Mobilidade
Equilíbrio
Qualidade de Vida
Danças Folclóricas
CNPQ Knowledge Areas: CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Escola de Medicina
Program: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Access type: Acesso Aberto
Fulltext access restriction: Trabalho não apresenta restrição para publicação
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8839
Issue Date: 28-Mar-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OLIVEIRA_CLEIA_ROCHA_DE_TES.pdfDIS_CLEIA_ROCHA_DE_OLIVEIRA_COMPLETO8.51 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.