Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8636
Document type: Dissertação
Title: Uma contribuição de Nietzsche à filosofia moral : a moralidade como imoralidade
Author: Acosta, Lucas Giovan Gomes 
Advisor: Oliveira Junior, Nythamar Hilario Fernandes de
Abstract (native): A presente dissertação tem por objetivo refletir sobre a filosofia de Friedrich W. Nietzsche, especialmente no que se refere à sua contribuição e ao seu lugar na reflexão contemporânea da moral. Em sua autoproclamada negação e crítica da moral, Nietzsche possibilita uma nova perspectiva ética. Como imoralista, não apenas nega a validade e a eficácia da moralidade cristã, mas também vislumbra-se como um tipo peculiar de moralista que visa a inverter a autoridade e o poder da moral contra ela mesma. O filósofo se denomina como o primeiro imoralista em Ecce Homo de 1888, definindo sua “natureza mais íntima” como amor fati. Essa refutação ocorre por meio de sua corrosiva e implacável crítica aos fundamentos epistêmicos da metafísica e da Moral, especialmente a moralidade de cunho racional. Assim, coloca sob suspeita a crença em toda a moral, desvela suas fundações e destrói seus constructos axiológicos. Eis a parte destrutiva da filosofia de Nietzsche, o filósofo do martelo e das profundezas, que se arroga o trabalho de demolir a tradição moral. Há também a parte construtiva que visa elaborar uma nova moralidade que não se baseie em princípios metafísicos. Nietzsche toma a moralidade como problema filosófico. Colocando em suspeita a moral vigente, faz ruir o edifício em que fora construída, permitindo vislumbrar outras moralidades possíveis, como por exemplo, a moralidade trágica, que afirma a vida. Dito de outra maneira, uma moralidade de um imoralista. Nesse sentido, defende-se que a posição peculiar de Nietzsche na história da filosofia moral consiste na análise crítica da multiplicidade de diferentes valorações morais, sempre remetidas a suas fontes humanas (demasiado humanas). Através da atenção às circunstâncias e às condições de surgimento, desenvolvimento e ocaso dos diversos ideais, valores morais e doutrinas religiosas, procuramos mostrar como Nietzsche constitui uma filosofia que rompe com a noção de valores divinos e imutáveis. Desse modo A transvaloração de todos os valores é a “fórmula” para a superação de todos os valores consagrados até a modernidade como supremos e do niilismo por eles provocados. A condição para a transvaloração está, inclusive, nas ideias de eterno retorno – uma nova relação com o tempo, em que a vida é plenamente afirmada – e de amor fati, que afirma que cada instante vivido deve ser desejado infinitas vezes. Entendemos que por meio da crítica realizada pelo imoralista amar sua existência como um fatum constitui uma afirmação trágica da vida, desprovida de elementos metafísicos. Com base em uma pesquisa bibliográfica da obra de Nietzsche e seus comentadores (como Wotling, Conway, Clark, Schacht, Bailey, Leiter, Marton, Giacoia, Araldi, Paschoal, Medrado, e outros), argumenta-se que a defesa de uma postura (i)moralista da parte de Nietzsche lhe garante destaque na história da ética e possibilita uma reflexão contemporânea sobre a moral.
Abstract (english): This dissertation aims to reflect on the philosophy of Friedrich W. Nietzsche, with particular regard to its contribution and place in the contemporary reflection on morality. Nietzsche’s self-proclaimed negation and critique of morality enable a new ethical perspective. As an immoralist, not only does he deny the validity and effectiveness of Christian morality, but also sees himself as a peculiar kind of moralist, one who seeks to reverse the authority and the power of morality against itself. The philosopher calls himself the first immoralist in his 1888 book Ecce Homo, where he defines his “most intimate nature” as amor fati. This refutation occurs through his corrosive and ruthless criticism of the epistemic foundations of metaphysics and morality, especially morality of a rational nature. Thus, he puts the belief in all morality under suspicion, unveils its foundations, and destroys its axiological constructs. Here we have the destructive side of the philosophy of Nietzsche, the philosopher from the depths who takes up the task of demolishing moral tradition with a hammer. However, there is also the creative side, which aspires to devise a new morality that is free of metaphysical principles. Nietzsche takes morality as a philosophical problem. Placing the dominant morality under suspicion, Nietzsche brings down the foundation on which it was built, allowing for the glimpse of other possible moralities, such as the tragic one, which affirms life. In other words, the morality of an immoralist. In this regard, some argue that Nietzsche's peculiar position in the history of moral philosophy consists in the critical analysis of the multiplicity of different moral values, always referred to its human (all too human) sources. Focusing on the circumstances and conditions of emergence, development, and decline of the various ideals, moral values, and religious doctrines, we seek to show how Nietzsche sets up a philosophy that breaks with the notion of divine and immutable values. Thus the transvaluation of all values is the “formula” for overcoming all values consecrated up to modernity as supreme and the nihilism they engendered. The condition for the transvaluation is also present in the ideas of the eternal recurrence – a new relation to time, in which life is fully affirmed – and of amor fati, that states every instant ever liver must be desired infinitely. Through the critique carried out by the immoralist, we understand that to love one’s existence as a fatum is a devoid of metaphysical elements, tragic affirmation of life. Based on a bibliographic research of the work of Nietzsche and his commentators (such as Wotling, Conway, Clark, Schacht, Bailey, Leiter, Marton, Giacoia, Araldi, Paschoal, Medrado, among others), we argue that the defense of an (im)moralistic stance on the part of Nietzsche ensures him highlight in the history of ethics and allows for a contemporary reflection on morality.
Keywords: Moral
Imoralismo
Valores
Amor Fati
Transvaloração de Todos os Valores
CNPQ Knowledge Areas: CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Escola de Humanidades
Program: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
Access type: Acesso Aberto
Fulltext access restriction: Trabalho será publicado como artigo ou livro
Time to release fulltext: 12 meses
Date to release fulltext: 04/06/2020
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8636
Issue Date: 19-Mar-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DIS_LUCAS_GIOVAN_GOMES_ACOSTA_CONFIDENCIAL.pdfLUCAS_GIOVAN_GOMES_ACOSTA_DIS323.55 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.