Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8583
Document type: Tese
Title: Enxerto total de maxila com 100% de bio oss : estudo retrospectivo clínico e tomográfico
Author: Dinato, Thiago Revillion 
Advisor: Grossi, Marcio Lima
Abstract (native): Introdução: A perda de dentes e o uso de uma prótese total por muitos anos ainda é uma realidade e resulta em perda óssea. A reconstrução adequada de uma maxila edêntula extremamente atrófica é um desafio e diferentes métodos têm sido descritos para a sua resolução. O objetivo deste estudo foi: a) descrever uma técnica utilizando 100% de matriz óssea bovina inorgânica (MOBI) para reconstrução maxilar; b) medir o ganho ósseo horizontal 6 a 8 meses após o enxerto; e c) avaliar a taxa de sobrevivência dos implantes. Métodos: Pacientes buscando a reabilitação com implantes em maxilas atróficas edêntulas foram selecionados em uma clínica privada em Porto Alegre, Brasil. A primeira tomografia computadorizada foi avaliada para verificar a necessidade de enxerto ósseo e a segunda, 6-8 meses após o enxerto ósseo, para planejar a colocação dos implantes e avaliar o ganho ósseo horizontal na região anterior de maxila. A primeira cirurgia envolveu o levantamento de seio bilateral e o enxerto horizontal na região anterior da maxila, ambos com partículas de 0,25-1mm de MOBI (Bio-Oss, Geistlich, Suiça) e recobertos por membrana de colágeno (Bio-Gide, Geistlich). Resultados: Um total de 124 implantes foram instalados em 19 pacientes. A taxa de sobrevivência dos implantes foi de 95,2%, com seis implantes perdidos ao longo de um tempo médio de acompanhamento de 47,68 ± 20 meses. O ganho ósseo horizontal variou de 0 a 6,86 mm, com ganho médio de 2,85 ± 1,44 mm. Uma média de 5,5 ± 1,5g de MOBI foi usada por paciente, em 73,7% dos casos foi possível a realização de cirurgia sem retalho no momento da instalação dos implantes, e em 92 dos implantes foi possível a realização de carga imediata com uma sobredentadura provisória apoiada sobre uma barra fixa. A reabilitação final foi realizada com prótese fixa em 16 pacientes, com tempo médio de acompanhamento da prótese de 38,4 ± 22 meses. O ganho ósseo horizontal foi maior quando a altura óssea inicial foi maior que 8, 10 ou 12mm quando comparados com alturas iniciais menores que 8, 6 ou 4mm. Conclusão: Dentro das limitações deste estudo é possível afirmar que o enxerto ósseo com 100% MOBI em maxila atrófica é um tratamento confiável e permite a reabilitação com implantes com alta taxa de sobrevivência, sendo que quanto maior a altura óssea inicial, maior a possibilidade de ganho ósseo horizontal.
Abstract (english): Background: Tooth loss and the use of a complete denture for years is still a reality and results in bone loss. Adequate reconstruction of an extremely atrophic edentulous maxilla is a challenge, and different treatment methods have been described for its resolution. The objective of this study was: a) to describe a technique using 100% deproteinized bovine bone matrix (DBBM) for maxilla reconstruction, b) to measure horizontal bone gain 6 to 8 months after bone graft in the anterior region of the maxilla, and c) to evaluate the survival rate and variables related to bone augmentation and/or implant survival rate. Methods: Patients (18 to 85 years old) seeking implant placement in edentulous upper jaw with an atrophic maxilla were selected in a private clinic in the city of Porto Alegre, Brazil. The bone graft was performed with a bilateral sinus lift and a horizontal bone graft in the anterior region, both with 0,25-1mm particles of DBBM (Bio-Oss, Geistlich, Switzerland) covered with a collagen membrane (Bio-Gide, Geistlich). Cone beam computed tomography (CBCT) were evaluated to verify the need for bone graft, and after 6-8 months bone graft follow-up, to plan the implant placement and to assess the horizontal bone gain. Results: A total of 124 implants were placed in 19 patients. The survival rate was 95.2%, with six implants lost over a mean implants follow-up time of 47.68 ± 20.00 months. The horizontal bone gain ranged from 0.00 to 6.86 mm, with a mean gain of 2.85 ± 1.44 mm. An average of 5.5 ± 1.5g of DBBM was used per patient, and in 73.7 % of the cases, a flapless surgery was possible for implant placement, and in 92 implants an immediate loading was possible with a provisional overdenture. The final rehabilitation was accomplished with a fixed prosthodontics in 16 patients with a mean prosthesis follow-up time of 38.4 ± 22 months. The mean bone width gain was higher when the initial bone height was higher than 8, 10 or 12mm compared to initial bone heights lower than 8, 6 or 4mm. Conclusion: Within the limitations of this study, it is possible to affirm that the bone graft with 100% DBBM in atrophic maxilla is a reliable treatment and allow the rehabilitation with implants with a high survival rate; and the higher the initial bone height, the greater the gain in bone width.
Keywords: Maxila Atrófica
Implantes Dentários
Enxerto Ósseo
Xenógeno
Atrophic Maxilla
Dental Implants
Xenograft
Bone Graft
CNPQ Knowledge Areas: CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Escola de Ciências da Saúde
Program: Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Access type: Acesso Aberto
Fulltext access restriction: Trabalho será publicado como artigo ou livro
Time to release fulltext: 60 meses
Date to release fulltext: 21/05/2024
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8583
Issue Date: 15-Jan-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TES_THIAGO_REVILLION_DINATO_CONFIDENCIAL.pdfTHIAGO_REVILLION_DINATO_TES331.18 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.