Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8009
Tipo do documento: Dissertação
Título: O lugar da família na proteção social : os desafios e responsabilidades no cuidado do familiar que sofreu acidente vascular cerebral
Autor: Cunha, Carmen Lúcia Nunes da 
Primeiro orientador: Bellini, Maria Isabel Barros
Resumo: A presente dissertação é fruto da pesquisa que objetivou discutir como as famílias se organizam no cuidado de membro com perda de autonomia e dependência para as atividades da vida diária devido ao AVC e qual o suporte da Política de Saúde no acompanhamento destas famílias. Parte do entendimento de que a família é uma construção social que estabelece uma relação dialética com a sociedade e que varia de acordo com o modo de produção vigente que institui um modelo hegemônico, como a família nuclear na sociedade burguesa, espraiado para as outras classes sociais. Modelo este adotado pelas políticas sociais, embora os dias atuais nos mostrem que não existe uma única forma de ser família. Há dificuldade na definição de um conceito único para o termo “famílias”, visto que engloba uma variedade de configurações e arranjos familiares, porém a família é considerada o lócus tradicional do cuidado e as políticas sociais nela depositam a responsabilidade pelo cuidado de seus membros. O Estado somente atua quando a família “falha” em prover as condições de socialização, sobrevivência e proteção de seus familiares. Esta perspectiva desconsidera que as famílias não têm condições de arcar sozinhas com todas as exigências e responsabilidades nelas depositadas e por isso necessitam da proteção social do Estado enquanto direito. Identificou-se o acesso e o acolhimento como desafios e possibilidades da proteção social da família pelo Estado e Programa Melhor em Casa e a necessidade de judicialização da saúde como limites da política. Com relação a proteção social da família pela família, os participantes assumiram a tarefa de cuidado do membro adoecido por AVC, porém uma segue o modelo tradicionalmente adotado, em que o cuidado é uma atribuição feminina, noutra a figura masculina assume este papel de cuidador, contrariando os dados indicados nas pesquisas. Outra possibilidade desta proteção pela família é a adoção do compartilhamento do cuidado, situação identificada na pesquisa e que contraria os achados na literatura.
Abstract: The present dissertation is the result of the research that aimed to discuss how families organize themselves in the care of members with loss of autonomy and dependence for the activities of daily life due to stroke and what the support of the Health Policy in the monitoring of these families. Part of the understanding that the family is a social construction that establishes a dialectical relationship with society and that varies according to the current mode of production that establishes a hegemonic model, such as the nuclear family in bourgeois society, spread to other social classes. This model is adopted by social policies, although the current day shows us that there is no one way to be a family. There is difficulty in defining a single concept for the term "families," since it encompasses a variety of family configurations and arrangements, but the family is considered the traditional locus of care and social policies lay the responsibility for the care of its members. The State only acts when the family "fails" to provide the conditions for socialization, survival and protection of their relatives. This perspective overlooks the fact that families are not able to afford alone with all the demands and responsibilities placed on them and therefore need the social protection of the State as a right. Access and shelter were identified as challenges and possibilities of family social protection by the State and Better at Home Program and the need to judicialize health as limits of the policy. Regarding the social protection of the family by the family, the participants assumed the task of care of the member affected by stroke, however one follows the traditionally adopted model, in which care is a feminine attribution, in another the male figure assumes this role of caregiver, contrary to the data indicated in the surveys. Another possibility of this protection by the family is the adoption of care sharing, a situation identified in the research and contrary to findings in the literature.
Palavras-chave: Serviço Social
Famílias
Cuidado
Políticas Sociais Públicas
Área(s) do CNPq: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Sigla da instituição: PUCRS
Departamento: Escola de Humanidades
Programa: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Restrição de acesso: Trabalho não apresenta restrição para publicação
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8009
Data de defesa: 3-Jan-2018
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Serviço Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DIS_CARMEN_LUCIA_NUNES_DA_CUNHA_COMPLETO.pdfCARMEN_LUCIA_NUNES_DA_CUNHA_DIS4,2 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.