Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/783
Tipo do documento: Tese
Título: Da alma para o corpo e do corpo para o cérebro: os rumos da psicologia com as neurociências
Autor: Azambuja, Marcos Adegas de 
Primeiro orientador: Guareschi, Neuza Maria de Fátima
Resumo: Este estudo analisa os rumos da Psicologia com as Neurociências considerando a centralidade do discurso do cérebro na contemporaneidade. Tendo como suporte o pensamento arquegenealógico de Michel Foucault, procurou-se visibilizar as relações entre os dois campos de saber a partir do mapeamento de um dispositivo do cérebro. Encontra-se a convergência de dois eixos de análise ao longo do trabalho: da disciplinarização da Psicologia e da problematização da subjetividade. O primeiro, procurou mapear as condições de emergência para a constituição de uma Psicologia científica, entendendo que ela passa a se sustentar sobre os discursos da clínica e da interioridade. Neste mapeamento, acompanhou-se principalmente as práticas de interiorização e de exteriorização da subjetividade, tornando-se possível delinear os deslocamentos nos vetores da clínica e da interioridade que articulam a Psicologia enquanto ciência. O segundo eixo, pretendeu mapear os processos de subjetivação e com isso desfazer a ideia de uma teoria do sujeito. Além disso, as linhas que compõe os processos de subjetivação interior e exterior constituem um campo para a emergência do que denominou-se como subjetividade estendida. As práticas de extensão da subjetividade, como um novo território de constituição do conhecimento de si do sujeito, também encontra um campo de convergência com a Psicologia Social.
Abstract: This study examines the course of Psychology and Neuroscience considering the centrality of the discourse of the brain in contemporary. Supported by the archaeological and genealogical thought of Michel Foucault, it tries to visualize the relationships between these two fields of knowledge from mapping an apparatus of the brain. There is the convergence of two lines of analysis throughout this thesis: the disciplinarization of Psychology and problematization of subjectivity. The first line seeks to map the conditions of emergency for the formation of a scientific Psychology, understanding that it has been maintained on the discourses of clinic and interiority. This map followed mainly the practice of interiorization and exteriorization of subjectivity, which made possible to delineate the displacement in the vectors of clinic and interiority which articulates Psychology as a scientific field. The second line, intended to map processes of subjectivation and thus interrogate the idea of a theory of the subject. Moreover, the lines that made up the internal and external processes of subjectivation are a field for the emergence of what I would call extended subjectivity. The practices of extension of subjectivity, as a new territory of constitution of self-knowledge of the subject, also finds a converging field with Social Psychology.
Palavras-chave: PSICOLOGIA
NEUROCIÊNCIA
SUBJETIVIDADE
CÉREBRO
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Sigla da instituição: PUCRS
Departamento: Faculdade de Psicologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citação: AZAMBUJA, Marcos Adegas de. Da alma para o corpo e do corpo para o cérebro: os rumos da psicologia com as neurociências. 2012. 219 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/783
Data de defesa: 16-Mar-2012
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
437839.pdfTexto Completo1,94 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.