Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/721
Document type: Dissertação
Title: A entrevista investigativa e o policial entrevistador
Author: Ballardin, Maria da Graça 
Advisor: Stein, Lilian Milnitsky
Abstract (native): Com o intuito de estimular o início de uma discussão e reflexão sobre a formação do policial como entrevistador, especialmente, nas academias de polícia no Brasil, a presente dissertação de mestrado investiga dois aspectos igualmente importantes neste tema, que se desenvolveram por meio de dois estudos. O primeiro é o modo como as mais modernas técnicas de entrevista investigativa estão inseridas nos cursos básicos de formação de policiais em países onde a pesquisa nesta área tem avançado nas últimas décadas em relação a países da América Latina. Realizou-se um levantamento de informações sobre os cursos de formação de policiais no Reino Unido, Nova Zelândia, Estados Unidos e em alguns países da América Latina - Venezuela, Argentina, Chile e Brasil, estes, selecionados por sua afinidade histórica-política e aqueles por apresentarem reconhecida expressão no meio científico e jurídico em relação às técnicas investigativas utilizadas. Estabeleceram-se algumas comparações entre as abordagens do tema entrevista investigativa nas forças policiais destes países. A função investigativa, uma das tarefas mais importantes da polícia, desenvolve-se por meio da coleta de informações incluindo testemunhas, vítimas e suspeitos e os resultados de uma investigação criminal, seja de um delito de menor potencial ofensivo ou mesmo um crime grave, dependem, em grande parte, da capacidade do investigador de obter informações qualificadas, em quantidade e com acurácia. Neste contexto, as técnicas de entrevista para obtenção de testemunhos revestem-se de especial interesse. Um policial com habilidades para realizar uma entrevista efetiva pode influenciar a qualidade e a quantidade da informação obtida. Nos países mais avançados nesta área, todos policiais recebem treinamento, desde o seu ingresso na instituição, no programa PEACE (mnemônico para Planing and preparation, Engage and explain, Account, Closure and Evaluation). Já nos países da América Latina, nomeadamente os supracitados, não se verifica treinamento específico em técnicas de entrevista atuais e cientificamente testadas, nem há qualquer referências sobre as pesquisas mais recentes nos currículos de formação das academias de polícia. Outra questão diz respeito às características individuais do entrevistador, relevantes na obtenção de testemunhos em quantidade e com acurácia. Esta questão foi investigada por meio de um estudo exploratório sobre a percepção de 15 díades de entrevistadores e entrevistados sobre as características que podem facilitar ou dificultar a obtenção de testemunhos em quantidade e acurácia. Participaram deste estudo 30 pessoas, 8 sendo 15 entrevistadores policiais (delegados e escrivães) e 15 testemunhas que haviam sido entrevistadas pelos policiais. Foi utilizado um roteiro de entrevista semi-estruturada, abordando inicialmente a percepção quanto às características do entrevistador que facilitam ou dificultam a obtenção de testemunhos, com quantidade e acurácia, de modo geral e em seguida, de modo específico, em relação à oitiva realizada minutos antes. Estas duas etapas foram realizadas com ambos os grupos (entrevistadores e entrevistados). As respostas dos participantes foram categorizadas por juízes independentes, gerando seis categorias de respostas. Observou-se uma convergência dos resultados com alguns estudos sobre a importância do rapport, relação amigável, de confiança que se estabelece no início do contato entre entrevistador e entrevistado. Verificou-se que tão importante quanto as técnicas, é a relação que se estabeleceu entre entrevistador e entrevistado. As características do entrevistador que imprimiram maior acolhimento e sensação de estar à vontade indicam uma direção na formação dos policiais como entrevistadores. No Brasil, há ainda um longo caminho a percorrer que pode ser otimizado com os avanços científicos já alcançados em outros países, no que tange a técnicas de entrevista investigativa, seja com suspeitos, vítimas ou testemunhas.
Keywords: PSICOLOGIA COGNITIVA
ENTREVISTAS
POLÍCIA FEDERAL
CNPQ Knowledge Areas: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Country: BR
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Faculdade de Psicologia
Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citation: BALLARDIN, Maria da Graça. A entrevista investigativa e o policial entrevistador. 2011. 93 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.
Access type: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/721
Issue Date: 5-Jan-2011
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
428557.pdfTexto Completo881.52 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.