Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/6792
Document type: Dissertação
Title: Caracterização epidemiológica das infecções primárias de corrente sanguínea por staphylococcus coagulase-negativa em unidades de terapia intensiva neonatal
Author: Marco, Roberta 
Advisor: Fiori, Humberto Holmer
Abstract (native): Introdução: O Staphylococcus coagulase-negativo é reconhecido como o principal patógeno envolvido em sepse no período neonatal, sendo o Staphylococcus epidermidis o mais frequente. Objetivo: descrever a epidemiologia dos recém-nascidos acometidos por infecção primária de corrente sanguínea causada por Staphylococcus coagulase-negativo em unidades de terapia intensiva neonatal. Métodos: estudo transversal, retrospectivo, realizado nas unidades de terapia intensiva neonatal da Associação Hospitalar Moinhos de Vento e Hospital São Lucas da PUCRS no período de janeiro de 2011 a dezembro de 2013. Os dados foram coletados prospectivamente pelos Serviços de Controle de Infecção Hospitalar de ambas as instituições e realizada consulta de prontuários pelos pesquisadores quando necessário. Resultados: Foram incluídas todas as infecções primárias de corrente sanguínea causadas por Staphylococcus coagulase-negativo (n=99). O sexo masculino foi mais frequente, bem como pacientes com idade gestacional <32 semanas e que utilizavam nutrição parenteral total (NPT), cateter central de inserção periférica (PICC) e ventilação mecânica (VM). As cinco faixas de peso são heterogêneas. Verificou-se que 49,5% das infecções foram ocasionadas pelo Staphylococcus epidermidis. Distensão abdominal, queda de saturação, apneia e necessidade de aumento da oferta de oxigênio foram os sintomas mais frequentes em bebês com menos de 30 semanas de idade gestacional e peso ao nascer menor que 1003 gramas; hipoatividade, vômitos e febre acometeram bebês com peso e idade gestacional maior. O esquema de tratamento antimicrobiano mais utilizado foi a monoterapia com Vancomicina, seguido da associação de Vancomicina e Amicacina. O desfecho mais frequente nesta população foi a alta hospitalar. Conclusão: Assim como em outros estudos, o Staphylococcus epidermidis foi o mais frequente microrganismo identificado na população estudada. O uso de dispositivos invasivos deve ser questionado diariamente com o objetivo de retirada precoce. A equipe médico-assistencial das unidades de terapia intensiva neonatal (UTIN) deve estar engajada na prevenção dessas infecções a fim de garantir uma segurança e qualidade no atendimento/tratamento dos recém-nascidos.
Abstract (english): Introduction: coagulase-negative Staphylococcus is recognized as the main pathogen involved in sepsis on neonatal period, and Staphylococcus epidermidis the most frequent. Objective: To describe the epidemiology of newborns affected by primary bloodstream infection caused by coagulase-negative Staphylococcus in neonatal intensive care units. Methods: Cross-sectional, retrospective study performed in the neonatal intensive care unit (NICU) of the Moinhos de Vento Hospital and São Lucas Hospital from January 2011 to December 2013. The data were collected prospectively by Hospital Infection Control Service both institutions and held records consulted by researchers when necessary. Results: All primary bloodstream infections caused by coagulase-negative Staphylococcus (n = 99) were included. It more frequent in boys, patients with gestational age <32 weeks and those who used parenteral nutrition, peripherally inserted central catheter and mechanical ventilation. The five weight groups are heterogeneous. It was found that 49.5% of infections are caused by Staphylococcus epidermidis. Bloating, down saturation, apnea and the need for increased supply of oxygen were the most frequent symptoms in infants less than 30 weeks of gestational age and birth weight less than 1003 grams; underactive, vomiting and fever occurred in babies with appropriate weight and gestational age. The antimicrobial treatment regimen was used over monotherapy with vancomycin, vancomycin and amikacin followed by association. The most common outcome in this population was hospital discharge. Conclusion: As in other studies, Staphylococcus epidermidis was the most common organism identified in this population. The use of invasive devices must be questioned daily with the aim of early withdrawal. The medical-care team of the NICU should be engaged in preventing these infections in order to ensure safety and quality of care / treatment of newborns.
Keywords: RECÉM-NASCIDO
EPIDEMIOLOGIA
SEPSE
PEDIATRIA
MEDICINA
CNPQ Knowledge Areas: CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Faculdade de Medicina
Program: Programa de Pós-Graduação em Medicina/Pediatria e Saúde da Criança
Access type: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/6792
Issue Date: 31-Aug-2015
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DIS_ROBERTA_MARCO_PARCIAL.pdfTexto Parcial348.85 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.