Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/6257
Document type: Tese
Title: Mídia, ciência e produção de subjetividade : uma análise dos sentidos de saúde no cenário de publicação das leis nº 8.080/90 e nº 8.142/90
Author: Cadoná, Eliane 
Advisor: Strey, Marlene Neves
Abstract (native): Nesta tese, objetivamos compreender os sentidos produzidos sobre saúde na mídia impressa e em periódicos científicos, no cenário de publicação das Leis Orgânicas da Saúde, na ideia de articular contextos linguísticos e histórico-políticos e evidenciar condições que possibilitaram a constituição de verdades e práticas naquele momento. Tal cenário era marcado por peculiaridades contraditórias, em que uma política neoliberal era mote de efetivação de uma nova Constituição, pautada pela participação. Garimpar sentidos no campo da saúde nesse momento da história brasileira implica compreender os modos de articulação da existência nos cenários sociopolíticos daquele momento. Para responder aos objetivos da pesquisa, constituímos a mesma em três etapas, o que gerou a formulação de três artigos. Ressaltamos que as bases teóricas utilizadas neste estudo foram aquelas inspiradas nas perspectivas adotadas pelo Construcionismo Social. No primeiro estudo, intitulado Construcionismo Social na Atenção Básica: Uma Revisão Integrativa propomos a análise de artigos científicos, com fins de investigar como autores/as que se apoiam no Construcionismo Social definem saúde na Atenção Básica. Esse processo de estudo evidenciou a relevância da noção de responsabilidade compartilhada nos sentidos de saúde produzidos nos textos analisados. Os/as autores/as destes materiais afirmam que é possível ampliar as práticas em saúde para uma ação coletiva que possibilite o contínuo diálogo entre usuários/as e trabalhadores/as da saúde. Destacamos ainda, no estudo, a crítica à predominância do discurso biomédico, promotor de práticas coladas a lógicas de atenção centralizadas na doença. No segundo estudo, intitulado Conceitos de Saúde e Cuidado na Mídia Impressa Brasileira: Uma Análise do Ano de 1990 sob a Perspectiva do Jornal Zero Hora problematizamos sentidos de saúde e cuidado produzidos na mídia impressa, por intermédio do estudo das práticas discursivas. O corpus da pesquisa constituiu-se na análise dos jornais Zero Hora de publicação diária, veiculados ao longo do ano de 1990. Ao todo, foram analisados 365 jornais. Com este estudo, foi possível evidenciar que estavam postas, nos jornais, lógicas de um período da história nacional fortemente marcado por conceitos de saúde ligados à ausência de doença, e a práticas de cuidado atreladas a medidas de controle populacional. Percebemos que o/a cidadão/a brasileiro/a já cultuava, no ano de 1990, uma perspectiva de cunho preventivista e práticas de cuidado muito mais preocupadas com os interesses da classe dominante do que com a saúde da população como um todo, com ideais atentos a particularidades e contextos definidos pela lógica do mercado. O Jornal Zero Hora, em meio a esse cenário, assume o papel de (re)produtor de um modelo de cidadão/a atrelado/a ao neoliberalismo, dando ênfase à primazia dos serviços privados em saúde sobre os públicos e ao modelo hospitalocêntrico de atenção. No terceiro estudo, intitulado Ciência e Produção de Sentidos: Uma Análise de Pesquisas Acadêmicas Brasileiras no Contexto de Publicação das Leis Orgânicas da Saúde colocamos em análise sentidos sobre saúde compartilhados em produções científicas, publicadas no ano de 1990, no Brasil. Foram recuperados da Biblioteca Virtual em Saúde Brasil 34 artigos, submetidos à Análise de Discurso. A partir da constituição da análise, percebemos que os discursos produzidos nos estudos carregavam a lógica de que o conhecimento importado, provindo dos chamados países industrializados, deveria ser a regra a ser seguida no Brasil e que a realidade impressa nestes cenários serviria como modelo de inspiração para o mesmo. Evidenciou-se ainda a ênfase em pesquisas que salientavam a preocupação com a saúde física e com estudos experimentais, em contraponto com outros que problematizam conceitos e o modo como as práticas em saúde estavam sendo vivenciadas. A figura do/a médico/a é destacada, denunciando a contradição entre a legislação brasileira e as práticas em saúde daquele cenário, que justifica exercícios com ênfase na cura e no monopólio do saber. Ao relacionarmos os dados coletados nesta pesquisa, em geral, evidenciamos noções de saúde atreladas à ausência de doença, ao culto à saúde física em detrimento da noção de integralidade, ao saber médico, à criação de categorias ligadas a um padrão de normalidade, à importação do conhecimento e à privatização da atenção. A insistência em trazermos tais questões à tona, é porque acreditamos que é na micropolítica que podemos exercitar as revoluções diárias, com fins de almejar relações mais equitativas e comprometidas com a denúncia da estagnação.
Abstract (english): In this thesis, we aimed to understand the meanings produced on health in the press and in scientific journals, in publishing scenario the Organic Health Law, the idea of linking linguistic contexts and historical-political show conditions that made possible the establishment of truths and practices that moment. Such a scenario was marked by contradictory peculiarities, in which a neoliberal policy was subject of a new constitution, guided by participation. Panning meaning in the health field at this moment in Brazilian history means understanding the articulation of modes of existence to the socio-political scenarios that moment. To answer the research objectives, we incorporated the same in three steps, which led to the formulation of three articles. We emphasize that the theoretical bases used in this study were those inspired by the perspectives adopted by Social Constructionism. In the first study, entitled Social Constructionism in Basic Care: An Integrative Review propose the analysis of scientific papers, with the purpose of investigating how authors who rely on Social Constructionism define health in Basic Care. The authors of these materials claim that it is possible to expand health practices for collective action that enables ongoing dialogue between users and health workers. We also point out, in the study, the criticism of the predominance of speech biomedical promoter glued to centralized logic of care practices in disease. In the second study, entitled Concepts of Health Care in the Brazilian Print Media: An Analysis of the Year 1990 about the perspective the Newspapers Zero Hora problematize health care senses and carefully produced in print through the study of discursive practices. The corpus of the research consisted the analysis of the newspapers Zero Hora daily publication onveyed along the year 1990. Altogether, 365 papers were analyzed. With this study, it was possible that they were put in the newspapers, logical a period of national history strongly marked by health concepts related to the absence of disease. And care practices linked to population control measures. We realize that the citizen, the Brazilian already worshiped, in 1990. A perspective the preventative brand and care practices, much more worried with the interests of the ruling class than with the health of the population as a whole, with pattern watchful to particulars and contexts defined by labor market logic. The newspaper Zero Hora, in the midst of this scenario, assumes the role of producer of a model citizen linked to neoliberalism, emphasizing the primacy of private health services on public, and hospital centered model of care. In the third study, entitled Science and Production Meaning: An Analysis of Brazilian Academic Research in the Context of Publication of Organic Laws of Health. We put under review meaning health analysis shared in scientific production, published in 1990, in Brazil. They were recovered from the Virtual Health Library Brazil 34 articles, submitted to Discourse Analysis. From the analysis of the constitution, we realize that the speeches made in the studies carried the logic that knowledge imported, stemming the so-called industrialized countries, it should be the rule to follow in Brazil and the printed reality these scenarios would serve as a model of inspiration for the same. It was also evident the emphasis on research that highlighted the concern for the physical and experimental studies, in contrast with other concepts that question and the way health practices were being experienced. The doctor's figure is highlighted denouncing the contradiction between Brazilian Legislation and practices in health that scenario in which justifies exercises with an emphasis on healing and the monopoly of knowledge. To connect the data collected in this research, in general, evidenced health notions linked to the absence of disease, the cult of physical health at the expense of completeness notion, the medical knowledge, the creation of categories linked to a normal pattern, the import of knowledge and the privatization of attention. The insistence we bringing these up issues, It is because we believe that is in the micro policy we can practice the daily revolutions, for purposes of crave more equitable relationships and committed to the complaint of stagnation.
Keywords: PSICOLOGIA SOCIAL
SAÚDE COLETIVA
SAÚDE PÚBLICA
CONSTRUCIONISMO SOCIAL
CNPQ Knowledge Areas: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Faculdade de Psicologia
Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Access type: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/6257
Issue Date: 5-Aug-2015
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
473508 - Texto Parcial.pdfTexto Parcial215.64 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.