Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2822
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFröhlich, Sandro-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4716629Y7por
dc.contributor.advisor1Stein, Ernildo Jacob-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4783928Z7por
dc.date.accessioned2015-04-14T13:54:59Z-
dc.date.available2009-08-31-
dc.date.issued2009-07-08-
dc.identifier.citationFRÖHLICH, Sandro. A abertura da possibilidade como possibilidade de abertura. 2009. 129 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.por
dc.identifier.urihttp://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2822-
dc.description.resumoO trabalho, a partir da filosofia e pensamento de Martin Heidegger, busca primeiramente repor a questão que ficou esquecida no decorrer da história - sobre o sentido do Ser. Interrogação que é posta e proposta a partir do método da fenomenologia hermenêutica. Neste questionar há um ente privilegiado: o Dasein. A essência do Dasein é a sua existência e seu ser é também compreensão do Ser. Dasein que é ser-no-mundo e ser-com-os-outros, sempre em relação de ocupação com os entes e de solicitude com os demais. Como ser-em o Dasein é disposição afetiva, compreensão e discurso. Lançado na existência constitui-se numa tríplice estrutura: existência, facticidade e decaída. Sua disposição afetiva fundamental é a angústia. O ser do Dasein é revelado como cuidado: é um antecipar-se-a-sisendo-já-em (no mundo) em-meio-de (o ente que comparece dentro do mundo). Na antecipação, o Dasein confronta-se com a morte; em sua finitude, a morte se lhe revela como a possibilidade da impossibilidade da existência. Assumindo o ser-para-a-morte de forma verdadeira e autêntica, esta se constitui como uma antecipação para uma possibilidade que é própria, não-respectiva, insuperável, certa e indeterminada. No interrogar-se quanto ao ser todo e próprio, surge como testemunho a consciência, que o conclama a assumir o seu poderser próprio e lhe revela a culpabilidade. Pela culpabilidade assume ser-fundamento de um ser que está determinado por um não, sendo fundamento de uma niilidade. O calado projetar-se em disposição de angústia para o mais próprio ser-culpável denomina-se então como a resolução. Resolução que é sempre antecipadora, uma compreensão original do seu ser-parao- fim, ou seja, um antecipar-se para a morte.por
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2015-04-14T13:54:59Z (GMT). No. of bitstreams: 1 416190.pdf: 863574 bytes, checksum: 38b593c32b3b82323c6936ee3630f025 (MD5) Previous issue date: 2009-07-08eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucrs.br:80/tede2/retrieve/11706/416190.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpor
dc.publisher.departmentFaculdade de Filosofia e Ciências Humanaspor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUCRSpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Filosofiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFILOSOFIA ALEMÃpor
dc.subjectHEIDEGGER, MARTIN - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃOpor
dc.subjectFENOMENOLOGIApor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIApor
dc.titleA abertura da possibilidade como possibilidade de aberturapor
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Filosofia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
416190.pdfTexto Completo843.33 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.