Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2562
Tipo do documento: Tese
Título: Fatores associados a autopercepção de saúde em idosos de Porto Alegre
Autor: Hartmann, Ana Cristina Vaz Costa 
Primeiro orientador: Schneider, Rodolfo Herberto
Resumo: O objetivo principal desta tese foi descrever a autopercepção de saúde dos idosos com a finalidade de verificar se existe associação entre a autopercepção de saúde e doenças crônicas, incapacidades e atividades da vida diária entre os idosos de Porto Alegre. Adicionalmente pretendeu-se verificar se sexo, idade, escolaridade e renda influenciam na autopercepção de saúde dos idosos. As informações foram obtidas do banco de dados do Estudo multidimensional dos Idosos de Porto Alegre, que consiste de um estudo epidemiológico transversal, de base populacional domiciliar, realizado pelo IGG no período de dezembro de 2005 a novembro de 2006. Foram entrevistados 1078 idosos (indivíduos de 60 anos e mais). Comparou-se as freqüências das diversas variáveis estudadas através do teste do qui-quadrado. Para avaliação da força de associação foi utilizada a medida do Odds Ratio (OR), com intervalo de confiança 95%. Foram consideradas associações significativas aquelas com valores de p &#8804; 0,05. Os resultados revelaram que a maior parte dos participantes relatou a sua saúde como boa ou regular. Não se observou diferença significativa entre a percepção de saúde e os sexos. Verificou-se que a maior escolaridade apresenta uma relação estatisticamente significativa com uma melhor autopercepção de saúde. Verificou-se que existe uma relação significativa com a melhor condição socioeconômica e a melhor autopercepção de saúde. A presença de dificuldade no aspecto físico ou sintomatologia depressiva apresenta relação com uma autopercepção de saúde predominantemente regular. Evidenciou-se que, as doenças reumatismo, bronquite, pressão alta, diabetes mellitus e isquemia cerebral, apresentaram associação estatisticamente significativa com a autopercepção de saúde (p<0,001), enquanto, a ausência de todas as doenças abordadas se mostrou relevante para a autopercepção da saúde como boa ou ótima. A necessidade de auxílio para as atividades diárias mostrou que os idosos que informaram a ausência de auxílio têm mais chances de se auto-avaliarem com saúde boa ou ótima.
Palavras-chave: MEDICINA
GERIATRIA
GERONTOLOGIA
ENVELHECIMENTO
IDOSOS
SAÚDE DO IDOSO
DOENÇAS CRÔNICAS
ATIVIDADES MOTORAS
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Sigla da instituição: PUCRS
Departamento: Instituto de Geriatria e Gerontologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Citação: HARTMANN, Ana Cristina Vaz Costa. Fatores associados a autopercepção de saúde em idosos de Porto Alegre. 2008. 75 f. Tese (Doutorado em Gerontologia Biomédica) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2562
Data de defesa: 20-Mai-2008
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
402112.pdfTexto Completo271,63 kBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.