Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2187
Tipo do documento: Tese
Título: Margens limiares da prosa contemporânea : a poética do fragmento em Eles Eram Muitos Cavalos, de Luiz Ruffato, e Ó, de Nuno Ramos
Autor: Coutinho, Ilmara Valois Bacelar Figueiredo 
Primeiro orientador: Angelini, Paulo Ricardo Kralik
Resumo: Esta tese investiga o fragmento constante da prosa contemporânea tendo como universo empírico as obras literárias Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato (2013), e Ó, de Nuno Ramos (2008). No veio do enraizar indisciplinado que vai amalgamando temas, discursos, pontos de vista, linguagens, espaços-tempos, entre outras territorialidades postas em dispersão, a poética do fragmento edifica-se por meio da intempestividade de um eterno retorno (NIETZSCHE, 1999) cuja expressividade problematiza a condição estilhaçada, multirreferenciada e autorreflexiva da contemporaneidade. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de natureza multirreferencial, fundamentada teoricamente por Agamben (2013), Barthes (2003, 2004, 2007a, 2007b, 2009), Bauman (1998, 2005), Benjamin (1987, 1994, 2000, 2009), Blanchot (2005, 2010a, 2010b, 2011), Canclini (2008), Dalcastagnè (2012), Deleuze & Guatarri (1977, 1995), Deleuze (1990), Derrida (2001, 2005) Dias (2011), Foucault (2000, 2007, 2011), Hall (2003), Maffesoli (2007), Mosé (2005), Nietzsche (1999), Schollhammer (2011), Steiner (2012), Vaihinger (2011), entre outros. Durante o estudo, foi possível adensar a percepção de que a ordem do fragmento, nas obras literárias aqui estudadas, é a ordem da itinerância tanto na forma como as escritas vão moldando-se lacunares, nômades, imprevisíveis, quanto na propensão por solicitar leituras sediadas no entrechoque das (im)possibilidades concernentes à construção dos sentidos. Os resultados apontam uma prosa voltada a desautorizar territorialidades exclusivistas para esferas diferenciadas do conhecimento, indagando o poder da linguagem por exposição de ruínas-potências que podem se multiplicar nos intervalos silenciosos que as constituem. A poética do fragmento, faz uma literatura de margens limiares, solicitando aderência leitora encruzilhada, bem como traçando uma crítica pessimista às sociedades capitalistas, cujos valores de espetáculo ostentam a miséria da existência social e a banalização da vida.
Abstract: This thesis investigates the constant fragment of contemporary prose, having as empirical universe, the literary works They were many horses (Eles eram muitos cavalos) by Luiz Ruffato (2013) and Ó by Nuno Ramos (2008). In the seam of the undisciplined rooting that goes amalgamating themes, speeches, points of view, languages, space-times, among other territorialities put in dispersion, the poetic of fragment is built up through the intemperatedness of "eternal return" (Nietzsche, 1999 ), which expressiveness discusses the shattered, self-reflexive and multireferenced condition of the contemporaneity. It is a literature of multi-referential nature, theoretically founded by Agamben (2013), Barthes (2003, 2004, 2007a, 2007b, 2009), Bauman (1998, 2005), Benjamin (1987, 1994, 2000, 2009), Blanchot (2005, 2010a, 2010b, 2011), Canclini (2008), Dalcastagnè (2012), Deleuze & Guattari (1977, 1995), Deleuze (1990), Derrida (2001, 2005), Dias (2011), Foucault (2000, 2007, 2011), Hall (2003), Meffesoli (2007), Mosé (2005), Nietzsche (1999), Schollhammer (2011), Steiner (2012), Vaihinger (2011), among other authors. During the study, it was possible to deepen the perception that the order of the fragment, in the literary works studied here, is the order of roaming as much the writing will shape up lacunar, nomadic, unpredictable, as the propensity to apply for readings based on the clash of the (im) possibilities concerning the construction of the senses. The results indicate a prose geared to disallow exclusivist territorialities to differentiated spheres of knowledge, questioning the power of language by exposing ruins-powers that can multiply in the silent intervals that constitute them. The poetic of fragment is a literature of thresholds margins, requesting reader crossroad grip as well as drawing a pessimistic critique of capitalist societies, whose values of spectacle bear the misery of social existence and the trivialization of life.
Palavras-chave: LITERATURA BRASILEIRA - HISTÓRIA E CRÍTICA
RAMOS, NUNO - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
RUFFATO, LUIZ - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Sigla da instituição: PUCRS
Departamento: Faculdade de Letras
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Citação: COUTINHO, Ilmara Valois Bacelar Figueiredo. Margens limiares da prosa contemporânea : a poética do fragmento em Eles Eram Muitos Cavalos, de Luiz Ruffato, e Ó, de Nuno Ramos. 2014. 179 f. Tese (Doutorado em Letras) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2187
Data de defesa: 29-Ago-2014
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Letras

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
462825.pdfTexto Completo1,94 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.