Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1971
Document type: Tese
Title: As pretônicas no falar teresinense
Author: Silva, Ailma do Nascimento 
Advisor: Bisol, Leda
Abstract (native): Esta tese tem por objetivo descrever e analisar a pronúncia das vogais médias pretônicas no dialeto de Teresina-PI. A partir da investigação empírica, propomos uma análise sob a perspectiva da Teoria da Variação Linguística delineada por Weinreich, Labov e Herzog (2006) e Labov (1972) com vistas a explicar o complexo comportamento variacional destas vogais, detectado no dialeto, que se apresenta sob o seguinte formato harmônico: a) uma realização com a vogal média aberta [ε, ⊃], que obedece a marca dialetal da região; b) uma realização com a vogal alta, [i, u], usual a todos os falares brasileiros; c) uma realização com a vogal média fechada, [e, o], estranha à fala nordestina. Além destes casos, há ainda uma variação tripartida [ε ~ e ~ i]\ [⊃ ~ o ~ u] que ocorre com o mesmo item lexical. O corpus utilizado contou com 5.308 realizações de pretônicas, coletadas a partir de entrevistas com 36 informantes estratificados socialmente por gênero, faixa etária e escolaridade. As variáveis linguísticas consideradas na análise foram: contiguidade, homorganicidade, tonicidade, paradigma, distância da tônica, derivada de tônica e os contextos fonológicos precedente e seguinte. Os dados foram submetidos ao pacote de programa computacional VARBRUL 2S. Os resultados obtidos apontaram ser a contiguidade de uma vogal da mesma altura o fator favorecedor dos três processos harmônicos, seguindo-se-lhes alguns segmentos consonantais circundantes. Os fatores sociais, gênero, faixa etária e escolaridade, não exercem qualquer papel sobre a pronúncia de cada variante no dialeto. A ocorrência da variação tripartida da pretônica deve-se ao uso moderado da harmonia com a vogal alta, pois é o contexto desta regra que abre as três possibilidade. Argumentamos, em nossa análise, que a emergência majoritária da vogal média aberta nesse contexto e em outros desarmônicos pode ser um indício de que o dialeto teresinense possa estar em direção a um processo de neutralização em favor da vogal média aberta.
Keywords: LINGUÍSTICA
ANÁLISE LINGÜÍSTICA
PORTUGUÊS - FONOLOGIA
PORTUGUÊS - VOGAIS
VARIAÇÃO (LINGÜÍSTICA)
PORTUGUÊS - DIALETOS - BRASIL - NORDESTE
SOCIOLINGÜÍSTICA
CNPQ Knowledge Areas: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Language: por
Country: BR
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Institution Acronym: PUCRS
Department: Faculdade de Letras
Program: Programa de Pós-Graduação em Letras
Citation: SILVA, Ailma do Nascimento. As pretônicas no falar teresinense. 2009. 236 f. Tese (Doutorado em Letras) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.
Access type: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1971
Issue Date: 14-Dec-2009
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
424800.pdfTexto Completo1.22 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.