Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1381
Tipo do documento: Tese
Título: Ensaio clínico controlado e randomizado para avaliação da eficácia da azitromicina no tratamento da bronquiolite aguda
Autor: Luisi, Fernanda 
Primeiro orientador: Pinto, Leonardo Araújo
Resumo: Introdução: A bronquiolite viral aguda (BVA) é a principal causa de hospitalização em crianças durante o primeiro ano de vida. Diversos estudos têm demonstrado os efeitos imunomoduladores dos macrolídeos. Porém, poucos estudos, utilizando amostras pequenas, testaram a eficácia destes antibióticos em lactentes com BVA. Neste estudo testamos a hipótese de que o tratamento com azitromicina reduz o tempo de internação hospitalar e o tempo de uso de oxigenoterapia nas crianças internadas com BVA. Métodos: Foi realizado um ensaio clínico randomizado, duplo-cego e controlado por placebo. Participaram do estudo lactentes com até 12 meses de idade e que foram internados em um hospital universitário com diagnóstico clínico de BVA (primeiro episódio de sibilância). Estes foram randomizados para receber azitromicina oral (10 mg/kg/dia) ou placebo administrado em dose única diária por 7 dias. Foi aplicado um questionário para coleta de dados clínicos e uma amostra de secreção nasal para identificação viral. Foram registrados o tempo de necessidade de uso de oxigenoterapia (TO2) e o tempo de internação hospitalar (TIH). Resultados: Foram incluídos no estudo 105 lactentes com média de idade de 3,4 meses (dp±2,6) (50 no grupo intervenção e 55 no grupo placebo) entre os anos de 2009 a 2011. Os grupos foram comparados com relação às características clínicas e dados de virologia. Não foram encontradas diferenças significativas entre os grupos com relação TIH (5,42 ± 2,96 dias [azitromicina] versus 6,54 ± 3,56 [placebo]; p=0,200) nem com relação ao TO2. Das amostras coletadas, 62/101 (61,38%) dos pacientes apresentaram positividade para vírus respiratórios ao exame de imunofluorescência e 57 (56,4%) destes para vírus sincicial respiratório (VSR). Conclusões: Este foi o primeiro ensaio clínico que avaliou a eficácia de um macrolídeo em uma amostra representativa (N=105) de lactentes hospitalizados com BVA. O tratamento com azitromicina não melhora o tempo de internação hospitalar de lactentes com primeiro episódio de sibilância. Nossos achados contribuem para que haja uma redução do uso abusivo de antibióticos, a fim de se evitar o aumento da resistência a estes medicamentos. Ainda sim, não é possível descartar possíveis efeitos benéficos de diferentes classes de macrolídeos, ou mesmo uma associação positiva com diferentes fenótipos/genótipos de sibilância.
Abstract: Rationale: Acute viral bronchiolitis is a leading cause of hospitalization in the first year of life. Several studies have shown that macrolides have immune modulating properties, but only a few and underpowered trials have tested the efficacy of these antibiotics in infants with acute bronchiolitis. In this study we tested the hypothesis that azithromycin reduces the length of hospitalization and oxygen requirement in infants with acute bronchiolitis. Methods: We performed a randomized, double-blind, placebo-controlled trial. Infants aged less than 12 months were admitted to one university hospital with a clinical diagnosis of acute bronchiolitis (first wheezing episode). They were randomized to receive either oral azithromycin (10 mg/kg/day) or placebo administered once daily for seven days. Clinical data were recorded and nasopharyngeal samples for viral identification were collected at enrollment. Main outcomes were length of oxygen requirement and duration of hospitalization. Results: The study included 105 infants with a mean age of 3.4 months (sd ± 2.6) (50 in the intervention, and 55 in the placebo groups) from 2009 to 2011. Patients were comparable with respect to baseline clinical characteristics and viral identification. There were neither differences between the two groups regarding duration of hospitalization (5.42 ± 2.96 [azithromycin] vs 6.54 ± 3.56 [placebo] days; p=0.200), nor for oxygen requirement. 62/101 (61.38%) patients had positive viral immunofluorescence and 57 (56.4%) were due to respiratory syncytial virus (RSV). Conclusions: This is the first trial to test the efficacy of macrolides on acute viral bronchiolitis in a large sample of hospitalized infants. Routine treatment with azithromycin does not improve length of hospitalization in infants with the first episode of wheezing. This finding may potentially reduce antibiotic overuse that carries along the risk for increasing overall antibiotic resistance. Still, one cannot rule out possible beneficial effects of different classes of macrolides, or even a positive association to specific wheeze phenotypes/genotypes.
Palavras-chave: MEDICINA
PEDIATRIA
PNEUMOLOGIA
BRONQUIOLITE
AGENTES ANTIBACTERIANOS
LACTENTE
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Sigla da instituição: PUCRS
Departamento: Faculdade de Medicina
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina/Pediatria e Saúde da Criança
Citação: LUISI, Fernanda. Ensaio clínico controlado e randomizado para avaliação da eficácia da azitromicina no tratamento da bronquiolite aguda. 2012. 87 f. Tese (Doutorado em Pediatria e Saúde da Criança) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1381
Data de defesa: 26-Jan-2012
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
436884.pdfTexto Completo1,8 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.