Export this record: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1161
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorReale, Chalana Sangalli-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4278504T6por
dc.contributor.advisor1Menezes, Luciane Macedo de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4702503Z1por
dc.date.accessioned2015-04-14T13:30:09Z-
dc.date.available2012-04-27-
dc.date.issued2012-03-14-
dc.identifier.citationREALE, Chalana Sangalli. Efeitos na posição mandibular decorrentes da expansão rápida da maxila, em tomografia computadorizada Cone Beam. 2012. 123 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.por
dc.identifier.urihttp://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/1161-
dc.description.resumoIntrodução: O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar os efeitos na posição sagital e vertical da mandíbula, decorrentes da expansão rápida da maxila (ERM), com os aparelhos tipo Haas e Hyrax, através de tomografia computadorizada cone beam. Metodologia: a amostra foi composta de 33 pacientes com deficiência transversal da maxila (média de idade de 10.7 anos) divididos aleatoriamente em 2 grupos: Haas (n=18) e Hyrax (n=15). Todos os pacientes foram submetidos ao mesmo protocolo de ativação, totalizando 8 mm de abertura do parafuso expansor ao final da ERM. A avaliação foi realizada em tomografia computadorizadas cone beam com auxílio do software E-Film nos tempos: T1 (inicial), T2 (após a fase ativa da ERM) e T3 (após 6 meses estabilizado o parafuso expansor). As medidas maxilares e mandibulares, esqueléticas e dentárias, foram analisadas e comparadas através da análise de variância de modelo misto com medidas repetidas, considerando o nível de significância de 5%. Resultados: imediatamente após a ERM (T2), ocorreu, nos dois grupos, deslocamento mandibular para trás (SNB; p= 0,024) e para baixo (SN.PM; p= 0,007), aumento das dimensões do 1/3 inferior da face (ENA-ME; p= 0,001), tendência de abertura da mordida. Essas alterações tenderam a retornar a valores próximos aos inicias no período de contenção (T3). Foi verificada a verticalização dos molares inferiores, em T3, e a extrusão em relação ao plano mandibular em T2. Conclusão: a ERM provocou deslocamento da mandíbula para trás e para baixo, aumento das dimensões do 1/3 inferior da face e tendência de abertura da mordida imediatamente após a ERM. No entanto, esses efeitos foram temporários. Os molares inferiores apresentaram a tendência de verticalização após 6 meses de contenção. Os aparelhos tipo Haas e tipo Hyrax apresentaram comportamento semelhante.por
dc.description.abstractIntroduction: The aim of this study was to evaluate and compare the effects on the sagittal and vertical position of the jaw resulting from rapid maxillary expansion (RME), with Haas- type and Hyrax- type expanders by using cone beam computed tomography. Methodology: The sample consisted of 33 subjects with transverse maxillary deficiency (mean age 10.7 years) randomly divided into 2 groups: Haas (n = 18) and Hyrax (n = 15). All patients underwent the same activation protocol, a total of 8 mm expansion reached to the end of the ERM. The evaluation was performed on CBCT scans of the face using the Efilm software in the times: T1 (initial), T2 (after the active phase of the ERM) and T3 (after 6 months stabilized the screw expander). Dentoskeletal measures undertaken in the maxilla and mandible were analyzed and compared by analysis of variance with repeated measures with mixed model, considering the significance level of 5%. Results: Immediately after RME (T2), mandibular displacement back (SNB; p= 0,024) and down (SN.PM; p= 0,007), an increasing in lower anterior face height (ENA-ME; p= 0,001) and a tendency to open bite occurred in both groups. These changes tended to return to values similar to the initial retention period (T3). The verticalization of the lower molars was verified, in T3, and extrusion in relation to the mandibular plane in T2. Conclusion: The ERM caused mandible displacement backward and downward, increasing in lower anterior face height and a tendency to bite opening immediately after RME. However, these effects were temporary. The lower molars showed a tendency to verticalize after 6-months retention period. The Haas-type and Hyrax-type expanders showed similar results.eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2015-04-14T13:30:09Z (GMT). No. of bitstreams: 1 438103.pdf: 2244392 bytes, checksum: 146ea07adff2f0756fb725b8c12d6e98 (MD5) Previous issue date: 2012-03-14eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucrs.br:80/tede2/retrieve/8182/438103.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpor
dc.publisher.departmentFaculdade de Odontologiapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUCRSpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Odontologiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectODONTOLOGIApor
dc.subjectORTODONTIApor
dc.subjectTOMOGRAFIA COMPUTADORIZADApor
dc.subjectTÉCNICA DE EXPANSÃO PALATINApor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIApor
dc.titleEfeitos na posição mandibular decorrentes da expansão rápida da maxila, em tomografia computadorizada Cone Beampor
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
438103.pdfTexto Completo2.19 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.